Header Ads

Explorando o Evangelho de Marcos, Parte 2

Explorando o Evangelho de Marcos, Parte 2
Texto: Marcos 4:1-34
Introdução: O Segredo do Reino: Muitas das pessoas que foram ver Jesus estavam curiosas, mas eles não queriam ouvir o que Jesus tinha a dizer. Elas foram com os ouvidos tapados. Apenas alguns estavam ouvindo. Por causa da resposta da multidão, Jesus mudou sua abordagem. Quando Ele começou Seu ministério, Ele proclamou a boa notícia. "O tempo está cumprido", disse Ele. "O reino de Deus está próximo" (1:15).
Quando Ele expulsava os espíritos malignos, curava os doentes e perdoava pecados, Ele deixava claro que Ele era o Filho de Deus com autoridade sobre Satanás e sobre o homem. Mas agora, a partir deste ponto em diante, Ele iria ensinar por parábolas.
Apenas aqueles com o coração aberto seriam capazes de entender o que Ele estava ensinando. Jesus começou a ensinar à beira do lago. A multidão que se reuniu em torno dele era tão grande que Jesus entrou num barco e se afastou da costa. Ali Ele ensinou Sua parábola mais importante. Ele disse aos discípulos que se eles não entendessem a Parábola do Semeador, então, eles não seriam capazes de entender qualquer outra parábola. Por que isso foi assim? Porque nesta parábola Jesus revelou o segredo do reino de Deus. Vamos; para não perder o segredo!

I. A Parábola do Semeador. 4:1-20

A. A Parábola.
1. Lembre-se que Marcos era um homem jovem e não era um dos doze apóstolos que seguiram Jesus em torno de três anos aprendendo com ele.
2. Mas Marcos tinha feito uma decisão de seguir Jesus, para ser seu discípulo, e ele estava especialmente interessado em saber como Jesus treinava seus discípulos.
3. O discipulado para os doze apóstolos e para Marcos era um processo um movimento.
4. Todo o quarto capítulo de Marcos é importante nesse processo, pois é aqui que Jesus disse para os que estavam sentados em torno dele, "A vós foi dado conhecer o mistério do reino de Deus" v. 11.
a. Esta é a primeira vez, desde o capítulo um que o "reino de Deus" foi mencionado.
b. Ali Jesus disse que "O tempo está cumprido" (Marcos 1:15).
c. A declaração de Jesus sobre o mistério do reino segue imediatamente a Parábola do Semeador e o resto do capítulo 4 explica isso!
5. Jesus começou a parábola com a palavra "Ouça!”... Ele fechou com a palavra "ouvir”... O que se encontra entre estas duas palavras é muito importante.
6. A parábola é sobre um agriculto que saiu para plantar seus campos.
a. O agricultor não muda; nem a semente.
b. Somente o solo muda.
c. A ênfase, em seguida, é no solo.
d. Olhando de perto, vemos outros "personagens" da história:
1) As aves "vieram e a comeram" a semente espalhada a beira do caminho.
2) O sol "queimou" e "secou" as plantas que surgiram no solo raso.
3) Os espinhos "cresceram e sufocaram" as plantas que brotaram no terceiro grupo.
4) Em todos os três destes grupos, a semente falhou na produção de frutos.
e. Houve uma guerra, um conflito que impediu o propósito do agricultor e sua semente.
f. Mas há um quarto grupo: boa terra.
1) Aqui a semente "vingando e crescendo, davam fruto; e um grão produzia trinta, outro sessenta, e outro cem". 4:3-8
2) Jesus chamou Suas ilustrações da terra e as vidas das pessoas a respeito dele.
3) O agricultor semeando a semente era uma visão familiar na Palestina na época e ainda é.
a) Muitas vezes o agricultor amarrava um saco de sementes nas costas do seu jumento, que caminhava ao lado dele.
b) Uma vez que a terra utilizada para o plantio variava - terra rochosa e montanhosa, terra rica e fértil - o agricultor tentava dar a semente todas as vantagens.
c) As aves estavam sempre circulando, prontas para devorar a semente, o agricultor tentava rapidamente enterrar a semente sob o solo, preservando o máximo que podia.
d) No solo muito rochoso, ele não era capaz de fazer isso.
e) Ele plantava no tempo certo para que as chuvas regassem a semente, mas as chuvas também regavam os espinhos e eles poderiam sufocar a vida das plantas tenras se a capina fosse negligenciada.
7. Os doze ouviram atentamente o que Jesus estava dizendo.
a. Eles sabiam que Jesus não estava apenas contando uma história divertida.
b. Eles queriam entender o que Ele estava ensinando- por isso lhe perguntaram sobre a parábola.
c. Ele não só interpretou a Parábola do Semeador, mas deu três outras ilustrações do reino.
d. Jesus queria ter certeza que aqueles que perguntaram, compreendessem.
B. O Segredo.
1. Jesus começou sua resposta com algumas palavras surpreendentes: Marcos 4:11-12: "E ele lhes disse: A vós é confiado o mistério do reino de Deus, mas aos de fora tudo se lhes diz por parábolas; para que vendo, vejam, e não percebam; e ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam e sejam perdoados".
2. Uma vez mais Jesus dividiu as pessoas em dois grupos: aqueles que estão fora e aqueles que estão dentro.
a. Aqueles de fora não tinham o segredo para o reino.
b. Aqueles de dentro tinham.
3. O que fizeram os de dentro que aqueles do lado de fora não fizeram?
a. Se olharmos mais adiante, para a interpretação que Jesus deu da Parábola do Semeador, vemos que todos os quatro grupos ouviram a Palavra.
b. Eu não creio que a multidão reunida na margem do lago teria permanecido em torno de Jesus, caso não tivessem sido capazes de ouvir.
c. Mas, Jesus ensinou que quando as pessoas ouvem a Palavra, elas devem responder e nem todos respondem positivamente.
d. Aqueles que são sinceros querem saber mais; eles pedem mais compreensão.
e. Quando eles entendem, eles devem obedecer.
f. Lembra-se como Jesus identificou Sua família? Marcos 3:35: "Pois aquele que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe"
4. Em poucas palavras Jesus disse que o segredo para entrar em seu reino e ser parte de sua família, é:
a. Ouvir a Palavra
b. Pedir mais compreensão
c. E obedecer ao que diz a Palavra.
C. A Interpretação.
1. Jesus explicou que, assim como as sementes são semeadas em quatro diferentes tipos de solo, do mesmo modo a Sua Palavra é ouvida por aqueles que respondem de maneiras diferentes.
a. Algumas pessoas ouvem a Palavra, mas não fazem nada, ou elas rejeitam o que ouvem por causa da incredulidade.
b. Outros ouvem por um curto período de tempo.
1) Eles ficam alegres e animados sobre esta "nova doutrina".
2) Mas quando a obediência à Palavra torna-se difícil, eles perdem o interesse e nenhum crescimento acontece.
c. Outros, ainda, ouvem a Palavra e se envolvem ativamente na aprendizagem:
1) Mas outros interesses ocupam mais e mais tempo.
2) Por fim, a Palavra é cheia de suas vidas completamente.
d. Apenas o quarto grupo dá a Palavra de Deus a máxima prioridade e cresce de forma constante.
2. É fácil de aplicar esta interpretação para outras pessoas e ver os descrentes nos grupos um, dois e três e nós mesmos no grupo quatro.
a. Mas a parábola também é um retrato de nosso crescimento como cristãos.
b. Vamos observá-la novamente a partir dessa perspectiva.
1) Se formos como aqueles no grupo um, ouvimos a Palavra de Deus quando ele é lida, mas nossa mente vaga e nós rapidamente esquecemos o que temos ouvido.
2) Se formos como os do grupo dois, podemos ouvir Deus nos falar através da Sua Palavra, mas não fazemos perguntas.
a) Não há nenhuma pesquisa séria para mais entendimento.
b) Nenhum desejo sincero de aprender algo mais.
c) E nenhum crescimento acontece.
3) Se nós somos como aqueles no grupo três, estamos muito envolvidos com outras coisas para ter tempo para responder à Palavra de Deus, quando a ouvimos.
a) A vida social, o tempo de lazer, até mesmo família e trabalho da igreja, tudo isso pode sufocar a Palavra de Deus em nossas vidas.
b) A Palavra está somente na página impressa.
c) Nunca se torna um processo trabalhando ativamente em nossas vidas e nunca produzimos frutos.
d) Não nos muda, e crescimento requer mudança!
4) Mas, se nós somos como aqueles no grupo quatro?
a) Temos fome das palavras de Jesus.
b) Queremos estar com Ele e com a Sua Palavra todos os dias.
c) Estamos ouvindo, fazendo perguntas, obtendo respostas, e aplicando a Sua Palavra para nossas vidas.
c. Os discípulos eram assim.
1) Eles o seguiam em torno do dia e da noite.
2) Eles estavam constantemente fazendo perguntas:
a) "O que é isso? Uma nova doutrina?”.
b) "O que essa parábola quer dizer?”.
c) "Você não se importa se perecemos?”.
d) "Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?”.
e) "Como podemos alimentar esta grande multidão?”.
f) "Como podemos segui-lo quando não sabemos o caminho?”.
g) "Como podemos orar?”.
h) "Ensina-nos. Ensina-nos”.
3) Os discípulos aprenderam a ouvir com os ouvidos abertos, para pedir com mentes procurando, e obedecer com corações que podiam ser ensinados.
4) E nós também podemos.

II. A Candeia e a Medida. (v. 21-25)

A. A candeia é para o castiçal.
1. Mais uma vez, Jesus usou o conhecido para ensinar uma verdade profunda.
2. Desta vez, Ele foi o único a fazer as perguntas.
3. Nós podemos imaginar que as pessoas estavam sorrindo porque as respostas para suas perguntas eram tão óbvias.
4. Jesus queria que eles entendessem que o reino de Deus deveria ser como uma luz brilhante para o mundo.
5. O que ele estava ensinando-lhes sobre o reino não deveria ser escondido- mas colocada em uso.
6. "Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça" (Marcos 4:23)
B. Medida por medida. [24-25]
1. Mas como é que o reino de Deus cresce?
2. E como podemos crescer em nossa compreensão de tudo o que a Palavra de Deus nos ensina?
3. Na Parábola do Semeador, os do quarto grupo poderiam produzir a partir de trinta, sessenta, cem vezes mais do que eles começaram.
4. Agora, Jesus explicou este processo de crescimento. Nota: v. 24
5. Podemos chamar isso de "Medida por Medida".
6. Jesus disse que nos será dado mais apenas se nós usarmos o que temos.
7. Mas Ele também fez uma advertência: "Pois ao que tem, ser-lhe-á dado; e ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado" (Marcos 4:25)
8. No vernáculo de hoje pode-se dizer; use ou perde!

III. A semente que cresce. V. 26-29

Ocasionalmente, um professor da Escola Dominical enviava as crianças para casa com pequenos potes em que uma semente havia sido plantada. Nesse grupo de crianças tinha certamente aquele que era curioso o suficiente para desenterrar a semente a fim de descobrir o segredo do crescimento da semente. Mas o segredo do crescimento não é encontrado perturbando as raízes tenras que brotam da semente... é um mistério!
A. Jesus disse que o reino de Deus é como sementes plantadas no solo.
1. Mesmo quando o agricultor dorme a semente germina, cresce e produz grãos.
2. Olhe para o crescimento do Reino de Deus, desde que Cristo veio.
3. Como é que isso aconteceu?
4. Como é que milhões de vidas foram transformadas ao longo dos séculos?
5. A maioria de nós já teve a experiência de ver a Palavra de Deus se enraizar no coração de alguém que pensávamos nunca poder entrar no reino de Deus.
6. Como é que a Palavra de repente ganhou vida para o nosso amigo?
7. Como aconteceu essa mudança?
B. Há certo mistério sobre o reino de Deus.
1. Nós só sabemos à medida que, ouvimos, perguntarmos, e obedecemos...
2. Deus trabalha e Seu reino cresce nos corações dos homens.

IV. A semente de mostarda. V. 30-34

A. Observe a paciência de Jesus.
1. Ao explicar a Parábola do Semeador, Jesus comparou o reino de Deus:
a. Com uma lâmpada em um suporte
b. Com uma semente em crescimento
c. Com uma semente de mostarda.
2. A semente de mostarda é a menor de todas as sementes na horta, ainda assim produz a maior planta, às vezes tão alto como 3 metros.
B. Jesus disse que o reino de Deus era como o grão de mostarda.
1. Plantada em apenas alguns corações no início, o reino de Deus se tornaria o maior jardim.
2. Como os pássaros encontraram abrigo nos ramos da planta da mostarda, do mesmo modo aqueles que procuram abrigo encontra-o no reino de Deus.
C. Às vezes deixamos de ver o valor em pequenas coisas.
1. Nos dias de Zacarias muitas pessoas pensavam que o trabalho no Templo era insignificante, e que o próprio templo era muito pequeno.
2. Mas Zacarias perguntou: “Ora, quem despreza o dia das coisas pequenas?" (Zacarias 4:10).
3. A reconstrução do templo era parte do plano da aliança de Deus - e que se estendeu por gerações até a vinda de Jesus, que iria construir um templo não construído por mãos humanas.

Jesus, com todo o seu conhecimento sobre o reino de Deus, tinha a tarefa de ensinar aos homens que tinham dificuldade de enxergar além do material.
Havia uma urgência sobre seu ensinamento, pois seu tempo era limitado.
Ele entendeu que nem todo mundo estava pronto para aprender.
E Jesus escolheu passar a maior parte de seu tempo ensinando aqueles cujos ouvidos estavam abertos, respondendo às suas perguntas e ajudando-os a entender.
Se ouvirmos a Palavra - ouvir atentamente, pedir a Deus para nos ajudar a entender, e obedecer ao que estamos aprendendo, temos a certeza de crescer.
E se formos fiéis em compartilhar o que aprendemos, vamos ter um papel no crescimento do reino de Deus.

Leia também: Explorando o Evangelho de Marcos, Parte 1

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

Tecnologia do Blogger.