Header Ads

Explorando o Evangelho de Marcos, Parte 5

Explorando o Evangelho de Marcos, Parte 5
Texto: Marcos 8: 22-9: 50
O chamado ao Compromisso
Introdução: Um discípulo é um seguidor. Mas um discípulo de Jesus Cristo deve ser o compromisso de ouvir a voz do Mestre, fazendo perguntas que levam à aprendizagem, e a obediência à Palavra. Jesus veio com um plano para fazer discípulos. Ele ensinou e nutriu seus doze discípulos, e, em seguida, os enviou para ensinar e nutrir outros discípulos, que por sua vez iriam ensinar e nutrir outros. Ele não mudou seu plano. E a questão fundamental é de fato compromisso específico. Jesus sabia que tinha pouco tempo antes que ele deveria morrer. Ele havia sido rejeitado por muitos, e Ele não iria forçar ninguém a recebê-lo. Mas escolhas devem ser feitas, e os seus discípulos deve ser chamado para o compromisso.

I. O segundo toque. (Marcos 8:22-9: 1)

A. Para o cego.
1. Quando Jesus e seus discípulos chegaram a Betsaida, algumas pessoas trouxeram um cego a ele e pediram a Jesus que lhe tocasse.
2. O toque de Jesus havia curado a sogra de Pedro, um leproso, a filha de Jairo, assim como muitos outros.
3. Mas a cura total para este cego viria apenas a partir de um segundo toque, e isto não tinha acontecido antes.
4. Por que agora?
a. Certamente Jesus poderia tê-lo curado com um toque, ou uma palavra, ou um pensamento.
b. Mas Ele não o fez.
c. Qual foi a lição que Jesus estava ensinando aos seus discípulos?
5. Pouco tempo antes Jesus perguntou aos discípulos: "Tendo olhos, não vedes? e tendo ouvidos, não ouvis? e não vos lembrais?" (Marcos 8:18)
6. Como tinha feito com o surdo-mudo, Jesus levou o cego para longe da multidão.
a. Ele colocou saliva nos olhos do homem e o tocou com as mãos.
b. Então Jesus perguntou-lhe se podia ver alguma coisa.
c. O homem deveria ter olhado para Jesus, mas ele respondeu: "Vejo os homens como árvores que andam".
d. Ele não estava focando seus olhos em Jesus, mas deixando-os vagar para outras coisas.
e. Mais uma vez, Jesus colocou as mãos sobre os olhos do homem.
f. Desta vez, seus olhos se abriram, e ele viu todos claramente.
B. Para os discípulos.
1. Os discípulos entenderam isso, como o homem cego eles não estavam vendo Jesus com clareza?
2. Será que eles não sabiam o quanto Ele queria abrir os olhos deles se eles tão somente se focassem nele?
3. É estranho que os discípulos não questionaram Jesus sobre esta cura única do cego.
4. E Jesus não discutiu com eles neste momento.
5. Eles passaram a Cesaréia de Filipe, uma cidade de muitos deuses pagãos.
a. Ali havia um magnífico templo de mármore a César, imperador de Roma e um deus para os romanos.
b. Ali também o antigo deus Baal era adorado junto com um panteão de deuses gregos.
c. Jesus tinha começado a descer o longo caminho que o levaria a Jerusalém e Sua morte.
d. Ele negou todos esses deuses pagãos, e Seus discípulos deveriam fazer o mesmo.
e. Se eles queriam que ele fosse o Deus deles, então todos os outros deuses deveriam ir.
6. Quando se aproximavam da cidade, Jesus perguntou aos discípulos: "Quem dizem os homens que eu sou?”.
a. Os discípulos sabiam a resposta para esta pergunta.
b. "João Batista: mas alguns dizem, Elias; e outros, um dos profetas".
7. Em seguida, Jesus fez a pergunta mais importante: "Mas vós, quem dizeis que eu sou?”.
a. Pedro respondeu pelos doze: "Tu és o Cristo".
b. Os discípulos tinham chegado a uma bifurcação na estrada.
c. Eles não foram chamados para ver "homens como árvores andando", mas para ver Jesus claramente. Quando o nosso foco está em Jesus, quando nos damos conta de quem Ele é, então Ele é capaz de abrir nossos olhos, restaurar nossa visão, e nos ajudar a ver "cada homem claramente”.
8. Quando os discípulos reconheceram Jesus como o Messias, o Seu ensinamento mudou.
a. Agora Ele falou claramente, e não por meio de parábolas, e disse-lhes:
b. "Começou então a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem padecesse muitas coisas, que fosse rejeitado pelos anciãos e principais sacerdotes e pelos escribas, que fosse morto, e que depois de três dias ressurgisse" V. 31
9. Quando fazemos um sério compromisso com Jesus Cristo, Satanás sempre aparece.
a. Assim ele fez com os discípulos.
b. Pedro não podia aceitar esta nova revelação do Cristo.
c. Ele tomou o Senhor (provavelmente colocou as mãos sobre ele) e abertamente o repreendeu.
d. Podemos imaginar que ele disse: "Ah, não, senhor. Não diga coisas assim. As coisas vão melhorar. Algum dia você vai ser rei e governar!"
10. Jesus reconheceu imediatamente que Satanás tinha a mão sobre Pedro.
a. "...Para trás de mim, Satanás; porque não cuidas das coisas que são de Deus, mas sim das que são dos homens" V. 33
b. Quando Jesus deu a Satanás esta ordem, Ele poderia estar lembrando Pedro de segui-Lo.
c. Jesus deve sempre guiar, e nós devemos seguir.
11. Então Jesus chamou a multidão e os seus discípulos e lhes ensinou a dura verdade sobre o discipulado.
a. "Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me" V. 34
b. O que Jesus estava dizendo?
c. Seguir onde?
d. Ao longo do caminho que ele estava tomando.
e. Os discípulos de Jesus são chamados a...
1) Sofrer
2) Ser rejeitado
3) Morrer
4) Ressuscitar novamente
· Como seguidores de Jesus Cristo, somos chamados a dar a nossa vida para que Cristo possa dar a vida de volta para nós.
· Mesmo se ganharmos o mundo inteiro, Jesus disse, não seria suficiente para comprar uma vida.
· Pedro esperava o Messias fosse um rei terreno.
· Quando Jesus falou do sofrimento, rejeição e morte, Pedro se envergonhou.
· Este não era o tipo de rei que Ele queria.
· Talvez Jesus repreendesse Pedro publicamente para salvá-lo mais tarde do constrangimento diante de Seu Pai Celestial. O aviso é para nós também: "Porquanto, qualquer que, entre esta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também dele se envergonhará o Filho do homem quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos" (Marcos 8:38)
· Pedro provavelmente baixou a cabeça quando ouviu estas palavras.
· Mas Jesus amava Pedro, e sem dúvida o tinha em mente quando deu uma profecia de algo especial que viria em breve: (9:1).
· Jesus ensinou que o reino de Deus começaria como uma pequena semente de mostarda e seria como uma família.
· Aqui Ele disse que seria "com poder"

II. A Confirmação (Marcos 9:2-13)

A. O circulo Intimo.
1. Pedro, Tiago e João compõe o que eu chamo de círculo íntimo de discípulos.
2. Jesus os escolheu para permitir-lhes alguns privilégios especiais que aos outros não foram dados.
3. É claro que o princípio ainda é verdade que “... a quem muito é dado, muito se lhe requererá..." Lucas 12:48
B. A experiência no topo da montanha.
1. O topo da montanha tem sido muitas vezes o lugar onde Deus se encontra com o homem.
2. Jesus leva os três para o topo da montanha e lá é transfigurado diante deles.
3. Transfigurado = significa mudar para outra forma.
4. Sua aparência mudou de tal forma que ele começou a brilhar intensamente em toda a Sua glória.
5. Moisés e Elias apareceram lá com Ele e falavam com Jesus.
a. Lucas 9:31 nos diz o que eles estavam falando.
b. "os quais apareceram com glória, e falavam da sua partida que estava para cumprir-se em Jerusalém”.
c. Eles estavam discutindo a fase final da redenção da humanidade.
C. A experiência boca grande.
1. Pedro estava tão animado com o que ele está experimentando que ele deixa escapar um plano para construir três memoriais; um para cada.
2. Imediatamente, uma nuvem cobriu e Deus falou diretamente a Pedro, Tiago e João.
3. "Este é o meu Filho amado; a ele ouvi"
D. O objetivo deste evento.
1. Em primeiro lugar, foi uma confirmação para Pedro, Tiago e João, que muito em breve eles iriam ver Jesus sofrer, ser rejeitado, e subir novamente.
2. Em segundo lugar, foi uma confirmação de que Jesus era... o próprio Filho de Deus!
3. Foi também uma confirmação para eles acreditassem no que Jesus lhes havia ensinado porque eles iriam realizar o plano de Deus para alcançar o mundo.
E. Estupefatos Discípulos.
1. Depois de ouvirem a voz de Deus, Moisés e Elias desaparecer deixando Jesus como o centro da atenção. (Que é exatamente o que o Senhor queria, em primeiro lugar).
2. Jesus instruiu-lhes que não contasse a ninguém sobre a sua experiência até após a Sua ressurreição.
3. Isso realmente os confundiu, e trouxe uma série de perguntas.
4. Jesus explicou que Elias entrou no ministério de João Batista e logo viria o sofrimento do Filho do homem.
· Uma coisa certa é que não podemos ficar no topo da montanha para sempre!
· Imediatamente após descer da montanha eles foram confrontados com a vida real.

III. O Ensino Forte. Marcos 9:14-50

A. Por que falhamos? V. 14-29
1. No sopé da montanha eles viram uma grande multidão.
2. Os discípulos estavam sendo questionados por alguns dos escribas.
3. Quando a multidão reconheceu Jesus, eles passaram a dedicar atenção a ele.
4. Quando Ele se aproximou dos discípulos, um homem explicou que ele tinha trazido seu filho, possuído por um espírito maligno, para os discípulos curar.
5. Mas "não puderam" expulsar o espírito.
6. Jesus lhes tinha dado autoridade e poder para pregar, curar, e para expulsar demônios, mas eles não tinham agido na fé e não tinham orado.
7. Observe o sofrimento do menino como o espírito maligno tentando destruí-lo.
8. Mas quando Jesus ordena ao espírito para deixá-lo, o espírito não teve poder para resistir.
a. Ele saiu do menino.
b. Todo o poder repousa em Jesus.
c. Nada é impossível para Ele.
9. Por que, então, nós falhamos?
a. Temos a liberdade de pedir a Jesus para fazer essas coisas através de nós que estão dentro de Sua vontade.
b. Mas, como os discípulos, muitas vezes nós esquecemos a fonte do nosso poder e tentamos agir por conta própria.
c. "... Por que não pudemos nós expulsá-lo? Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé..." Mateus 17:19-20
B. Você não vai acreditar? V. 30-32
1. Jesus deixou as multidões enquanto iam para a Galiléia porque queria tempo para ensinar seus discípulos
2. Olhe o que Ele estava ensinando-lhes: "porque ensinava a seus discípulos, e lhes dizia: O Filho do homem será entregue nas mãos dos homens, que o matarão; e morto ele, depois de três dias ressurgirá" Marcos 9:31
3. Como poderia ser isso?
4. Os discípulos não entenderam, e eles tinham medo de perguntar.
a. Em nossa caminhada com Cristo, não somos as vezes como os discípulos, com medo de perguntar porque tememos a verdade do que significa seguir Jesus?
b. Veja o que os discípulos enfrentaram:
c. Descobrir o que Jesus queria dizer com "traído" poderiam descobrir o Judas em seus próprios corações.
d. Ouvir o que Jesus queria dizer com "matar" iria destruir os seus sonhos de um reino do Messias na Terra.
e. E ressurreição? A ideia estava além da compreensão limitada deles.
f. Eles não perguntaram, porque eles realmente não queriam saber.
g. Eles não queriam acreditar que as palavras de Jesus eram verdadeiras.
C. Quem é o maior? V. 33-37
1. Não só os discípulos não fizeram perguntas, com também eles apagaram de suas mentes tudo o que Jesus tinha dito a eles.
2. Eles voltaram para o tipo de Messias que eles queriam que Jesus fosse; o tipo que governa a terra, na terra, em um grande reino.
3. O orgulho deles não iria deixá-los fazer o contrário.
4. Enquanto eles estavam andando eles estavam discutindo entre si sobre quem era o maior.
a. Jesus estava, provavelmente, a alguma distância andando em frente e não estava incluído na conversa.
b. Mais tarde, quando chegaram a Cafarnaum, ele perguntou sobre o que eles haviam discutido na estrada.
c. Eles não queriam responder, mas Jesus sabia que eles precisavam de mais ensino.
5. Ele sentou-se e chamou-os a Ele.
a. "se alguém quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o servo de todos" V. 35
b. Em seguida, tomou uma criança em seus braços, ele continuou: "Qualquer que em meu nome receber uma destas crianças, a mim me recebe; e qualquer que me recebe a mim, recebe não a mim mas àquele que me enviou" V. 37
c. A ideia era que, para se tornar "grande", é preciso estar disposto a ser o “menor”.
D. Quem é por nós? V. 38-41
1. João trouxe um problema para Jesus.
a. Um homem estava expulsando demônios em nome de Jesus.
b. Não era essa uma tarefa especial dada aos doze discípulos?
c. A resposta de Jesus surpreendeu-os, e pode surpreender algumas pessoas hoje em dia:
2. Nota: v. 39-40 “Jesus, porém, respondeu: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo depois falar mal de mim; pois quem não é contra nós, é por nós”.
3. O homem expulsando demônios em nome de Jesus era provavelmente um novo crente, ainda que ele estivesse fazendo algo que os discípulos tinham sido incapazes de fazer.
4. João o deteve porque ele não queria que ele usurpasse os privilégios dos discípulos mais bem treinados.
5. Mas Jesus condenou essa demonstração de orgulho.
6. Até mesmo a tarefa de dar um copo de água em Seu nome será recompensada.
E. Por que a advertência? V. 42-50
1. A lição não estava completa.
a. Jesus continuou por advertir os discípulos contra fazer "pequeninos que creem" tropeçar.
b. O homem que estava expulsando demônios em nome de Jesus era como uma criança, apenas começando sua jornada para a compreensão.
c. Por outro lado, os discípulos tinham estado com Jesus há muito tempo.
2. Se eles queriam o que Jesus tinha para oferecer, os discípulos tinham que abrir mão de seu orgulho e ir por um caminho diferente.
3. O caminho de Jesus para eles - e para nós - é o caminho da servidão.
4. Jesus descreve os tormentos do inferno e a seriedade do juízo eterno. V. 43-49
5. Jesus aconselha seus discípulos a ter sal em si mesmos. V. 50
a. O sal é o condimento e o agente de conservação de carne.
b. Os discípulos estavam no meio de uma sociedade morta e corrupta.
c. Eles tinham uma tarefa comum, e deveriam se unir em seu sofrimento como um agente de conservação para a humanidade.
d. Nossa sociedade continua morrendo e corrompida.
e. E os cristãos são chamados a estar unidos e ser o sal em nosso mundo.

Leia também:

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

Tecnologia do Blogger.