Header Ads

Tornando-se um Servo

Tornando-se um Servo
Tema: Disciplinas Cristãs
Texto: Mateus 20:20-28
Introdução: A fim de melhorar a nossa forma de servir devemos buscar o Salvador e seguir o modelo do Mestre.
Você e eu fomos redimidos por uma razão. Outra maneira de dizer isso é que fomos salvos para servir. De acordo com Atos 2:45, você e eu, fomos mobilizados para o ministério.

4 maneiras de se tornar um servo
Por favor, abra sua Bíblia em Mateus 20. Vamos caminhar por esta passagem, a fim de aprender quatro maneiras de nos tornar melhores servos. Vamos definir o contexto. Na primeira parte do capítulo 20, Jesus contou uma parábola sobre alguns trabalhadores que foram contratados para trabalhar na vinha. O proprietário do terreno decidiu pagar a todos o mesmo salário, independentemente de quanto tempo eles trabalharam nos campos. Aqueles que foram contratados primeiro começaram a se queixar, porque não achavam que era justo. Jesus concluiu seu ensino, dizendo no versículo 16: "Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos”.

O versículo 19 nos diz que quando Jesus estava indo para Jerusalém para enfrentar o sofrimento e morte, Ele levou os discípulos à parte e disse-lhes que Ele seria "entregue aos gentios para que dele escarneçam, e o açoitem e crucifiquem; e ao terceiro dia ressuscitará".

Ao chegarmos ao nosso texto de hoje, veremos que estamos realmente muito parecidos com aqueles primeiros seguidores.

1. Verifique os seus motivos. Quando olhamos para os versículos 20-21, vemos que nossos motivos podem estar equivocados. Em contraste com este anúncio do servo sofredor, lemos que a mãe de Tiago e João foi a Jesus com seus filhos "ajoelhando-se e fazendo-lhe um pedido”. O nome desta mãe era Salomé, que era provavelmente a tia de Jesus. Quando comparamos este fato com a versão de Marcos, Tiago e João estavam ansiosos para que a sua mãe fosse fazer o pedido para eles. Talvez eles soubessem que teriam uma chance melhor com Jesus, se ela fizesse o pedido para eles.

A frase "ajoelhando-se" é um ato de homenagem ou reverência. Algumas traduções usam a palavra "adoração". Salomé estava seguindo um protocolo muito comum. Em primeiro lugar, ela respeita e honra a Jesus e, em seguida, pede um favor Dele. Ela começa com um pedido geral e, em seguida, está pronta com o pedido dela quando Jesus pergunta: "Que queres?" Ela responde dizendo: "Concede que estes meus dois filhos se sentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino"

Agora, antes de sermos muito duros com Salomé, Jesus disse em Mateus 19:28 que "... que na regeneração, quando o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, sentar-vos-eis também vós sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel" Ela tinha esse direito, mas seus métodos estavam nublados, porque seus motivos estavam equivocados. Embora seja perfeitamente compreensível que uma mãe quer o melhor para seus filhos, mas ela não observou Mateus 19:30: "Entretanto, muitos que são primeiros serão últimos; e muitos que são últimos serão primeiros" e Mateus 20:16: "Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos". Jesus falou sobre uma cruz, mas eles estavam interessados em uma coroa.

É muito fácil nossos motivos sair de sintonia. Tiago e João estavam interessados em glória, posição e status. Eles queriam estar o mais próximo de Jesus e eles queriam ser maior do que qualquer outra pessoa. E a mãe desejava o melhor para eles. O nome "Salomé" significa vestuário ou vestidos. E a roupa, como motivos, pode ser boa ou ruim. Nossas roupas podem ser usadas para proteger e aquecer ou elas podem esconder ou ocultar. Ela veio em adoração, mas também queria secretamente alguma coisa. Ela inclinou-se, mas também implorou. Ela ajoelhou-se e pediu um favor. Todos os três queriam que a vontade deles fosse feita.

Se quisermos melhorar a nossa forma de servir, é preciso primeiro aprender a verificar os nossos motivos. Você já notou como é difícil ter motivação pura? Meus motivos são muitas vezes desalinhados, mesmo quando eu tento mantê-los em linha reta. Lembro-me de poucas vezes que ajudei em trabalhos voluntários. Eu sinceramente queria dar uma mão, mas eu também queria que as pessoas soubessem que eu estava ajudando. Minha confissão nesta noite, provavelmente, tem um elemento de motivos mistos na mesma. Mesmo que eu esteja confessando minha duplicidade, meu motivo em dizê-lo é, provavelmente, para fazer você pensar melhor de mim do que eu realmente sou.

O melhor que pudermos, nós realmente precisamos ter o nosso motivo para servir endireitado. É o Senhor Deus a quem servimos. Não servimos para impressionar os outros ou para tentar ganhar o favor de Deus. Até mesmo o apóstolo Paulo lutou com isso em 1 Coríntios 4: 4-5: "Porque, embora em nada me sinta culpado, nem por isso sou justificado; pois quem me julga é o Senhor. Portanto nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não só trará à luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o seu louvor".

Quando confrontado com os equivocados motivos dessa mãe, Jesus faz uma pergunta para revelar o que ela estava pensando: "Que queres?" A resposta sincera a esta mesma pergunta pode ajudar você e eu na nossa forma de servir. "Que queres?" "Por que você está fazendo isso?" "Quem você está servindo?" "Quem você quer impressionar?”.

2. Espere dificuldades. Após Salomé corajosamente fazer seu pedido, Jesus responde sem rodeios: "Não sabeis o que pedis; podeis beber o cálice que eu estou para beber?" Jesus estava realmente dizendo, "Você não tem ideia do que você está pedindo" A palavra "cálice" era um símbolo do sofrimento ou aflição. No Jardim do Getsêmani, Jesus orou em Mateus 26:39: "Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres". Em João 18:11, Jesus disse a Pedro: "Mete a tua espada na bainha; não hei de beber o cálice que o Pai me deu?"

Curiosamente, João e Tiago respondem a esta pergunta incisiva com total confiança, dizendo: "Nós podemos" Eu acho que eles estavam um pouco ansioso em dar a resposta. Jesus reforça esta quando ele diz no versículo 23: "O meu cálice certamente haveis de beber..." Eles queriam glória, mas Jesus lhes diz para se prepararem para alguma tristeza.

Embora nem sempre saibamos com antecedência o quanto vamos sofrer, nós sabemos que se somos sérios sobre seguir a Cristo e servi-Lo de todo o coração, vamos enfrentar dificuldades. Filipenses 1:29: "pois vos foi concedido, por amor de Cristo, não somente o crer nele, mas também o padecer por ele" Tiago não sofreu por muito tempo, mas ele perdeu a vida como o primeiro dos doze a ser martirizados (Atos 12: 2). João viveu até cerca de 100, mas sua vida foi cheia de dificuldades, culminando com o seu banimento para a ilha de Patmos. Apocalipse 1:9: "Eu, João, irmão vosso e companheiro convosco na aflição, no reino, e na perseverança em Jesus, estava na ilha chamada Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus”.
 
Amigo, se você é sério em sua forma de servir a Cristo, então se prepare para sofrer. Você pode ser levado para casa mais cedo, como Tiago foi ou você pode lutar por muito tempo como João. "Beber do cálice" tem referência não só ao sofrimento, mas refere-se a permanecer fiel até o fim. Esta frase foi entendida como drenar todo o copo até que fosse esvaziado. Se você está servindo num ministério agora, as chances são de que você já experimentou alguma dificuldade. Se você ainda não tiver, você vai experimentar. Fazemos um desserviço ao prometer que a vida cristã será livre de problemas e promovendo ministério tão simples e um pedaço de bolo. Vai lhe custar algo servir a Cristo! Você está disposto a pagar o preço?

Ministério é muitas vezes uma luta, mas vale a pena! Se você está se sentindo desanimado com vontade de parar ou encontra-se perguntando se os seus assuntos de ministério importa, permita as palavras de 1 Coríntios 15:58 encorajá-lo: "Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor"

3. Coloque os outros em primeiro lugar. Depois de verificar os nossos motivos e esperar dificuldade, a terceira via para se tornar um servo é colocar os outros em primeiro lugar. Caso você esteja se perguntando como os outros dez se sentiram quando viram que Tiago e João estavam tentando pegar as posições de poder, olhe para o versículo 24: "E ouvindo isso os dez, indignaram-se contra os dois irmãos”.

Esta palavra "indignados" significa "revoltados" Eles estavam realmente indignados que esses dois estavam usando um parente de Jesus para receber tratamento especial e eles não iriam desistir dos lugares de topo sem luta. Eles não estavam revoltados com a falta de compreensão da verdadeira servidão dos irmãos; eles estavam indignados que estes dois chegaram a Jesus primeiro. A atitude espiritual dos dez não era melhor do que a dos dois. Você já reparou como é fácil ficar irritado com o pecado que vemos nos outros, e as vezes nós estamos na mesma situação? Por que é que nós condenamos nos demais o que desculpamos em nossas próprias vidas?

Aqui vemos que o egoísmo sempre resulta em dissensão. Quando pensamos apenas em nós mesmos, a comunidade se rompe e a unidade é substituída pela divisão e maledicência. É por isso que uma das melhores coisas que podemos fazer como igreja é servir juntos. Uma igreja que serve unida permanece unida.

Eu amo o que Jesus faz a seguir na primeira parte do versículo 25: "Jesus, pois, chamou-os para junto..." Isso é exatamente o que deve acontecer quando há tensão e conflitos. Nós precisamos nos unir. Quando Jesus os chama para junto de si, Ele faz isso com ternura e familiaridade. Mais tarde, quando olhando para Jerusalém, Jesus disse em Mateus 23:37: "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste!" Jesus está reunindo seu filhos juntos, mantendo-os unidos como uma galinha debaixo das asas. Imagino-o chamando um amontoado e dizendo algo como isto: "Gente, por favor, venha aqui. Vamos formar um círculo apertado. Ficar um pouco mais perto para que vocês possam ouvir o que eu estou prestes a dizer”.

Ele conhece que seus sistemas padrão são definidos no egoísmo e assim ele os chama juntos. Ele não leva os dois irmãos de lado e os detona, nem ele corrige os dez por estarem indignados. Ele os traz de volta à comunidade e, em seguida, dá-lhes uma lição de como as coisas são diferentes em Seu reino. Há um nítido contraste entre a filosofia de servir do Salvador e do sistema mundial em que viviam: "... Sabeis que os governadores dos gentios os dominam, e os seus grandes exercem autoridades sobre eles" O mundo ensina que nós deveríamos gastar toda a nossa energia para chegar ao topo e, em seguida, quando chegarmos lá, poderemos chefiar outros por aí.

Os discípulos conheciam o modelo gentio de autoridade muito bem. A história foi preenchida com reis tirânicos e agentes provinciais brutais que mostraram pouca consideração para o povo judeu. Quando Jesus lembrou-lhes que a busca do poder era "gentia" ou prática "pagã", Ele, em essência, estava dizendo-lhes que não deveriam agir dessa maneira. Os rabinos frequentemente utilizavam ilustrações gentias como exemplos negativos.
O versículo 26 começa com uma repreensão quando Jesus reformula o seu entendimento: "Não será assim entre vós..." Um seguidor de Cristo não deve agir dessa maneira. O significado aqui é: "Não deve ser", ou "Não pode ser" Na família de Deus só existe uma categoria de pessoas: Servos. Observe o resto deste verso e o versículo 27: "... antes, qualquer que entre vós quiser tornar-se grande, será esse o que vos sirva; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo". Este era um ensinamento contra cultural e radical para Jesus definir grandeza em termos de servidão porque os escravos eram considerados socialmente inferiores. Mesmo os poucos mestres que acreditavam que os escravos eram iguais teoricamente, não iriam tão longe como Jesus fez quando Ele inverteu o papel de mestre e servo.

Se os discípulos queriam ser líderes no seu reino, eles primeiro tinha de se tornar servos. O que é um servo? É alguém cujo coração está atento a, e cuja vontade é obrigada a, vontade e os desejos do outro. Se eu sou teu servo, então o que você diz, tá dito. Você tem a última palavra.

Uma das melhores imagens bíblicas desta determinação obstinada de colocar os outros em primeiro lugar encontra-se no Salmo 123:2: "Eis que assim como os olhos dos servos atentam para a mão do seu senhor, e os olhos da serva para a mão de sua senhora, assim os nossos olhos atentam para o Senhor nosso Deus, até que ele se compadeça de nós". Quando o mestre move o dedo no comando, o servo simplesmente obedece. Um verdadeiro servo é aquele que aprendeu a dominar a autonomia desafiante de si mesmo e submeter a vontade aos desejos do outro. O que Deus diz tá dito. Quando Deus diz, "pule”, devemos dizer: "Agora!"

Aqui está o princípio: Se queremos nos tornar verdadeiramente grandes, então devemos desistir dos direitos pessoais e servir aos outros. Precisamos ser lembrados repetidamente que a nossa ambição central deve ser o de servir as pessoas, não ser admirado por elas.

Você já percebeu como uma conversa com Jesus geralmente não sai da maneira que pensávamos antes de começar? Temos tantas coisas que precisam ser mudadas em nossas vidas, porque nós estamos mais atraídos pelo mundo do que a maioria de nós gostaria de admitir.

Os caminhos de Deus são muito diferentes dos nossos caminhos. Aqui estão alguns contrastes apenas no Livro de Mateus:
· Para ganhar sua vida, você deve perdê-la (Mateus 16:25)
· Para experimentar a vida eterna, você deve ter a fé de uma criança (Mateus 18:3)

· Para receber, primeiro você deve dar (Mateus 19:21)
· Para ser grande, você deve ser um servo (Mateus 20:26)


4. Siga o exemplo de Jesus. Jesus não apenas sacode nossos motivos egoístas e nos diz para esperar dificuldades. Ele também nos desafia a colocar os outros em primeiro lugar. E, no caso nós estamos querendo saber como fazer isso, Ele Se oferece como o modelo perfeito. Veja o versículo 28: "assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos". Este versículo tem sido justamente considerado como um dos mais preciosos dizeres de Cristo. Jesus é o nosso exemplo e nossa motivação.


Ele não estava focado em manter a sua posição e conseguir cada vez mais. Na verdade, de acordo com Filipenses 2:3-7, Jesus deixou o Seu trono, a fim de servir-nos: "nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros. Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens". Ele serviu as necessidades dos outros e, em seguida, demonstrou o último ato de servidão quando Ele deu a Sua vida como pagamento por nossos pecados, para que possamos ser postos em liberdade. O verdadeiro padrão da grandeza é o exemplo de auto sacrifício do Salvador.


Teologia da Bacia
Amigo, você tem uma teologia da bacia? Você se lembra o que Pilatos fez quando ele teve a chance de absolver Jesus? Ele pediu uma bacia e lavou as mãos. Mateus 27:24: "Ao ver Pilatos que nada conseguia, mas pelo contrário que o tumulto aumentava, mandando trazer água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Sou inocente do sangue deste homem; seja isso lá convosco”. Mas Jesus, na noite antes da Sua morte, pediu uma bacia e começou a lavar os pés sujos e empoeirados de Seus discípulos. Tudo se resume à teologia bacia. Qual delas você vai usar?


O paradigma de Pilatos está vivo e bem hoje. Ele sabia o que deveria ter feito, mas ele tomou o caminho mais fácil. Ele transferiu aos outros a responsabilidade que deveria ter sido dele. Muitas pessoas hoje passam a bola e lavam as mãos de tudo o que podem. Talvez seja porque nós pensamos que alguém vai fazê-lo.


Muitos têm se contentado em deixar alguém fazer o trabalho. O problema com isso é que não há muitos lá fora que querem faze-lo. E aqueles que existem estão esgotados e cansados. A bacia de Pilatos é a escolha errada. Isso leva a morte e destruição. Mas há outra escolha.


Em João 13: 4-5, vemos que Jesus e seus discípulos estão a partilhar a refeição da Páscoa juntos quando Jesus "levantou-se da ceia, tirou o manto e, tomando uma toalha, cingiu-se. Depois deitou água na bacia e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido" Pedro não gostou que Jesus, como o convidado de honra, estava fazendo aquilo. Alguma vez você já parou e se perguntou por que Pedro estava tão chateado que Jesus estivesse lavando seus pés fedorentos? Foi porque Pedro sabia que não era responsabilidade de Jesus. Lavar os pés era o trabalho do menor de todos os escravos. Isto foi inédito! Jesus foi seu professor. Em todo caso, eles deveriam estar lavando os pés de Jesus!


As estradas em Jerusalém eram cobertas com uma grossa camada de poeira. Quando chovia, ela se transformava líquida. Era costume o anfitrião colocar um escravo na porta de sua casa para lavar os pés dos convidados do jantar quando eles chegavam. O servo se ajoelhava com uma bacia de água e uma toalha e lavava a poeira ou a lama dos pés sujos. Se uma casa não podia comprar um escravo, um dos primeiros hóspedes que chegavam tomava sobre si o papel do escravo e lavava os pés. É interessante que nenhum dos discípulos se tinha oferecido para o trabalho! Chuck Swindoll escreve: "A sala estava cheia de corações orgulhosos e pés sujos. Os discípulos estavam dispostos a lutar por um trono, mas não por uma toalha".


Ouça. Jesus está revelando que a servidão é de fato a responsabilidade daqueles que O seguem. João 13:14-15: "Ora, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”. Isso significa que o lava-pés deve ser uma ordenança para a igreja hoje? Eu não tenho tempo para entrar nesse assunto agora, mas eu quero dizer que esta é uma reconstituição do céu esvaziando em prol da terra. No mínimo Jesus está nos mostrando que, se o Filho de Deus podia humilhar e servir, então nós devemos fazer o mesmo.


O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir. E nós temos que fazer o mesmo. Como os discípulos, nós somos muitas vezes preenchidos com um espírito mundano de crítica e competição, enquanto tentamos nos posicionar da melhor forma e manobrar as coisas para o nosso próprio benefício. Precisamos desesperadamente desta lição de humildade.


Obediência significa envolvimento pessoal. Não podemos servir a distância, mas devemos chegar perto o suficiente para sujar nossas mãos. Se vamos servir como Cristo serviu, então temos de aprender a ver os outros como Ele os vê. Em João 13:17, Jesus diz-nos que, se fizermos essas coisas, seremos abençoados. Na análise final, a felicidade vem de fazer as coisas que um servo faz, verificando os nossos motivos, se preparando para as dificuldades, colocando os outros em primeiro lugar, e seguindo o exemplo de Cristo.

Leia também: Usando o que Deus nos Deu

Pedro nunca esqueceu essa imagem de Jesus tirando a roupa exterior e substituindo com uma toalha para fazer o trabalho de um escravo. Estas peças de vestuário exterior representava Sua posição como o grande EU SOU, o Rei do Rei e Senhor dos senhores, mas ele voluntariamente colocou-as de lado, a fim de servir. Isto causou um grande impacto em Pedro quando escreveu em 1 Pedro 5: 5: "... cingi-vos todos de humildade uns para com os outros, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes". DL Moody disse uma vez: "Nós podemos facilmente ser muito grande para Deus usar, mas nunca demasiado pequenos". O orgulhoso Pedro tinha aprendido a lição.


Pilatos usa sua bacia para evitar sua legítima responsabilidade. Jesus usou sua bacia para assumir a responsabilidade que a maioria diria que não era dele, em primeiro lugar. Se nós nos chamamos de seguidores de Cristo, então não deveríamos estar procurando maneiras para lavar nossas mãos, mas em vez disso, deveríamos estar lavando pés sujos.


O que você está esperando?
Depois de um raio atingir um galpão velho, um agricultor ficou aliviado porque agora ele não tinha que derrubá-lo. A chuva limpou seu carro e o livrou de ter que lavá-lo. Quando perguntado o que ele estava fazendo agora, ele respondeu: "Eu estou esperando um terremoto para sacudir as batatas da terra".


Se queremos nos tornar servos, não podemos apenas esperar que algo aconteça. Jesus disse que nós somos abençoados quando fazemos algo. Deixe-me dar-lhe quatro etapas da ação.
1. Servir sempre que puder.
2. Servir onde você puder.
3. Sirva quem está em necessidade.
4. Esteja disposto a fazer o que for preciso.


Na próxima semana, vamos nos concentrar em como Deus dotou com exclusividade cada um de nós para que possamos servir da maneira que seja uma combinação perfeita para quem nós somos.


Quero fechar com algumas palavras úteis de Richard Foster em seu livro chamado "A Celebração da Disciplina".
O serviço farisaico vem através do esforço humano. O verdadeiro serviço vem da inspiração sussurrada de Cristo.
O serviço farisaico está impressionado com o grande negócio. O verdadeiro serviço considera quase impossível distinguir o pequeno do grande.
O serviço farisaico requer recompensas externas. O verdadeiro serviço repousa no anonimato.
O serviço farisaico escolhe a quem servir. O verdadeiro serviço é indiscriminado em seu ministério.
O serviço farisaico é afetado por humores e caprichos. Ministros verdadeiros servem simples e fielmente, porque existe uma necessidade.
O serviço farisaico é temporário. O verdadeiro serviço é um estilo de vida.
O serviço farisaico fratura a comunidade. O verdadeiro serviço edifica a comunidade.


As cartas do fim do século 18 muitas vezes terminavam com esta descrição padrão de serviço: "Eu sou, com o devido respeito, o seu obediente e humilde servo". Mas com o tempo essa conclusão ficou atrofiada a uma mera formalidade: "Atenciosamente"


Queridos, vamos terminar este culto e viver nossas vidas como servos obedientes e humildes. Não seja uma contradição.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

Tecnologia do Blogger.