Header Ads

Usando o que Deus nos Deu

Usando o que Deus nos Deu
Tema: Disciplinas Cristãs
Texto: Mateus 25: 14-30
Introdução: Por favor, abra sua Bíblia em Mateus 25:14-30. Começamos esta série com as palavras de Jesus sobre a servidão e agora vamos concluir com seu ensinamento sobre a nossa responsabilidade de usar o que Ele nos deu.
Vamos definir o contexto. Esta parábola vem na seção do Evangelho de Mateus, onde Jesus está dando uma resposta à pergunta dos discípulos sobre a Sua segunda vinda em Mateus 24:3: "... Declara-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?" Jesus adverte-os a estar em guarda para que ninguém os engane e ajuda-os a entender que uma vez que ele for; ele voltará. Ele desafia-os em Mateus 24:44 para estar preparados, porque o Filho do Homem virá numa hora em que Ele é menos esperado.

No capítulo 25, Jesus compara sua vinda ao costume oriental de um noivo chegar ao meio da noite. Ele conclui dizendo em 25:13: " Portanto, vigiai, porque não sabeis o dia nem a hora". O capítulo 25 termina com a separação das ovelhas e das cabras. Intercalado no meio está à parábola dos talentos.
Observe o versículo 14: "Porque é assim como um homem que, ausentando-se do país..." O versículo 14 indica que Jesus está usando mais uma parábola para explicar os acontecimentos futuros. O homem que vai a uma "viagem" é Jesus.

À medida que caminhamos através desta poderosa passagem esta noite, vamos ver sete lições de mordomia.

1. O que temos não é nosso. O versículo 14 continua dizendo que este homem que estava se preparando para uma viagem, "... chamou os seus servos e lhes entregou os seus bens" Era comum para os homens ricos fazer viagens longas. Antes de sair, eles ordenavam alguém para cuidar da casa alimentar seus animais de estimação. Mas, ainda mais do que isso, eles muitas vezes delegavam o controle e a multiplicação de sua riqueza aos funcionários de confiança. Eles deveriam dar um retorno sobre o que tinha sido entregue a eles. Dadas as incertezas do transporte, naqueles dias, o tempo de retorno de até mesmo uma viagem bem planejada era frequentemente incerto.

Não havia nenhuma dúvida na mente desses servos que a propriedade e o dinheiro ainda pertenciam ao mestre. Eles eram os possuidores, mas não os proprietários. Seu trabalho era administrar o que lhes foi dado. Da mesma forma, é preciso lembrar que tudo o que temos foi dado a nós e não é realmente nosso. Salmo 24:1 diz: "Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam" Ageu 2:8 acrescenta: "Minha é a prata, e meu é o ouro, diz o Senhor dos exércitos" Ele tem os direitos, e eu tenho a responsabilidade. Ele é o Mestre e eu sou o gerente. Eu sou o servo; Ele é o soberano.
Leia também:  Tornando-se um Servo

Você tem permitido este princípio básico permear a sua personalidade? Você realmente não possui nada. Tudo pertence ao Senhor. Enquanto não reconhecermos esta verdade, não vamos ser bons gestores do que foi confiado a nós. Nossos dias estão em Suas mãos. Os nossos dons e habilidades foram emprestados por Ele. Nosso dinheiro é um "avanço" do Todo-Poderoso. Nossas casas, carros, roupas, e cada posse que temos não nos pertence. Nós realmente não possuímos nada.

2. Nós recebemos o que podemos administrar. No versículo 15, vemos que o mestre deu alguns talentos para três de seus servos: "a um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade; e seguiu viagem"

Precisamos fazer uma pausa aqui para reconhecer que esta palavra "talento" é diferente de nossa compreensão atual. Um talento era uma medida de peso, como usado em Apocalipse 16:21: "E sobre os homens caiu do céu uma grande saraivada, pedras quase do peso de um talento..." Um talento também era usado para indicar uma grande soma de dinheiro. O seu valor podia variar dependendo se era de cobre, prata, ou ouro. Enquanto comentaristas divergem sobre a quantidade exata, a maioria concorda que seria preciso um trabalhador comum trabalhar quase vinte anos para ganhar apenas um talento. Para colocar isto em nossa economia, utilizando um salário mínimo, um talento de ouro seria o equivalente a cerca de 300.000.

O Mestre deu ao primeiro servo cinco talentos, que era cerca de 1,5 milhão. O segundo rapaz recebeu dois talentos, ou aproximadamente 600.000. E o terceiro mordomo recebeu um talento, ou 300.000. Mesmo que não há uma grande diferença entre cinco talentos e um talento, o servo que recebeu um talento, todavia tinha um monte de dinheiro. Isso nos lembra de que Deus dá de Sua abundância para nós!

Eu quero que você perceba que cada trabalhador recebeu talentos "de acordo com a capacidade de cada um" Sua responsabilidade está ligada à sua capacidade. Isto é muito interessante. Os propósitos do Reino de Deus não operam de acordo com o que é "justo", mas de acordo com o que é melhor. Em 1 Coríntios 3:5, depois de desafiar os crentes a ser unidos não se quebrando em subgrupos que seguem líderes diferentes, Paulo escreve: "O que, afinal, é Apolo? E o que é Paulo? Só os funcionários, por meio de quem você vieram a crer, como o Senhor tem atribuído a cada tarefa dele" Você entendeu isso? A cada um de nós foi atribuída uma tarefa. É o nosso trabalho ser fiel ao que Ele nos deu para fazer.

Você tem o que você tem, porque Deus deu a você. E Ele espera que você gerencie seus dons dentro dos limites da capacidade que Ele confiou a você. Como aprendemos na semana passada, a partir de 1 Coríntios 12, há diferentes tipos de dons, serviço e funcionamento, e o Espírito Santo distribui essas responsabilidades "para cada um, assim como Ele determina" Deus confia coisas diferentes para pessoas diferentes de acordo com os seus propósitos soberanos. Em outras palavras, Ele sabe o que podemos administrar. Nosso trabalho é ser fiel com o valor que temos para trabalhar. Nós confiamos que Deus sabe mais sobre nós do que nós mesmos sabemos sobre nós mesmos?

3. Temos de investir o que nos foi dado. O versículo 16 nos diz que o homem que recebeu cinco talentos saiu "imediatamente negociar com eles, e ganhou outros cinco”; Ele não perdeu tempo, mas imediatamente começou a trabalhar em sua estratégia de investimento e dobrou o montante de seu mestre. O servo que recebeu dois talentos fez a mesma coisa; apenas o texto não diz que ele saiu a trabalhar "imediatamente", como o primeiro servo fez. Nós sabemos que ele trabalhou duro, no entanto, porque ele também dobrou o dinheiro do seu senhor, terminou com quatro talentos.

O versículo 18 descreve a atitude diferente do terceiro servo: "mas o que recebera um foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor" Mesmo que nós não lemos sobre quaisquer instruções específicas sobre o que fazer com o dinheiro, os dois primeiros servos saíram para trabalhar e multiplicaram o investimento. O servo de um talento era um preguiçoso que saiu e enterrou a sua bênção. A prática de esconder objetos de valor no solo era muito comum naquela época. Era uma das mais seguras e menos rentáveis maneiras de proteger bens.

Nosso potencial é um presente de Deus para nós. O que fazemos com ele é o nosso presente a Ele. Zig Ziglar disse: "Você é a única pessoa no mundo que pode usar sua habilidade" Você está investindo o que lhe foi dado, independentemente de quanto é? Ou, você já enterrou sua bênção e manteve-a escondida dos outros?

4. Um dia de prestação de contas está chegando. Nenhum de nós quer ser fiscalizadas pela Receita Federal, mas todos nós vamos ser auditados pelo Todo-Poderoso. Nós vamos ter que dar conta de como nós usamos o que nos foi dado. Veja o versículo 19: "Ora, depois de muito tempo veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles" Jesus está voltando e então haverá um dia de ajuste de contas. Enquanto a maioria de nós acredita que esta em nossas cabeças, nós nem sempre vivemos com a eternidade em nossos corações. Se quisermos pensar mais sobre seu retorno, nós devemos estar mais focados em fazer um eterno retorno de nossos investimentos. Romanos 14:12: "Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" Era dever dos servos manter sempre em mente que o mestre iria voltar e iria resolver suas contas com eles.

Amigos, Jesus está voltando! Vamos ser fiéis em fazer o que Ele nos dá para fazer. Ele investiu algo em você, e um dia ele vai voltar para reivindicá-lo. Seu trabalho pode ser grande ou pequeno, mas o que quer que seja faça-o com o melhor de sua capacidade e você estará pronto para a sua auditoria. Não seria terrível se envergonhar e não estar preparado quando Jesus voltar? 1 João 2:28: E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não fiquemos confundidos diante dele na sua vinda" Servir à luz de um acerto de contas futuro.

Ajudar-nos-ia a adquirir o hábito de fazer a pergunta: "Como vai minha gestão do dinheiro, ou esta decisão de servir ou não servir olhando para o dia da prestação de contas?”.

5. O que fazemos com o que temos revela nossa visão de Deus. Quando chegamos aos versos 20-25, vemos que ao homem que tinha sido dado cinco talentos trouxe mais cinco com ele. A linguagem é perspicaz aqui. Ele diz: "eis aqui outros cinco que ganhei". A palavra "eis aqui" significa, "veja" ou "Olha!" Ele estava ansioso para investir o que ele tinha recebido e agora ele estava animado para mostrar ao mestre o que tinha feito. Ele está borbulhando com entusiasmo e completamente emocionado. Ele não podia esperar para apresentar o que ele tinha feito, porque ele queria agradar ao seu senhor.

O homem com os dois talentos aproximou para o acerto de contas com a mesma expectativa e emoção. O mestre estava entusiasmado com os dois, porque eles demonstraram responsabilidade pela sua capacidade. Ele diz exatamente a mesma coisa para os dois: "Disse-lhe o seu senhor: Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor" O mestre aumentou seus recursos, depois de terem provado que eram fiéis. Jesus disse uma coisa semelhante em Lucas 6:38: "Dai, e ser-vos-á dado"

Estes dois servos fiéis receberam:

Afirmação: "Grande trabalho! Bem feito. Eu aprecio o seu bom trabalho e sua fidelidade".
Promoção: "Uma vez que vocês fizeram tão bem com o que eu lhes dei, vou dar-lhes ainda mais responsabilidade e oportunidade de crescimento"
Celebração: "Vocês me fizeram muito feliz. Vamos comemorar juntos!”.

A frase, "muito bem" pode ser traduzida como "excelente" ou "maravilhoso". Eles foram fiéis e foram chamados de bons porque eles tinham uma visão correta do mestre. Da mesma forma, quando vemos a Deus por quem Ele é, nós queremos ser fiéis e vamos nos concentrar em fazer coisas boas. Deus está procurando por pessoas fiéis, aqueles que gerenciam adequadamente seus recursos para propósitos do reino. E, quando nós somos responsáveis por aquilo que nos foi dado, vamos receber ainda mais responsabilidades. Eu imagino um sorriso no rosto de Jesus quando Ele diz: "entra no gozo do teu senhor!”.

O servo que recebeu um talento veio um pouco mais relutante ao mestre e disse no versículo 24: “... Senhor, eu te conhecia, que és um homem duro..." Note que as primeiras palavras da sua boca eram sobre si mesmo: "Eu conhecia" Nós poderíamos traduzir isso como: "Eu sempre soube" os outros dois servos mantiveram o foco no mestre quando ele retornou: “... Senhor, entregaste-me...”.

Este terceiro servo tinha uma visão errada do mestre e tinha sua cabeça feita mesmo antes de receber o seu talento. Ele olhou para ele como alguém que era difícil e duro, em vez de amável e gracioso. A.W. Tozer estava certo quando disse que o que pensamos a respeito de Deus é a coisa mais importante sobre nós. Se virmos Deus como um tirano então vamos filtrar tudo através desta lente. Alguns de vocês podem estar secretamente revoltados com Deus, porque você acha que ele fez alguma coisa, ou não fez alguma coisa que você acha que ele deveria fazer. Como resultado, a sua visão dele está distorcida. Suas noções preconcebidas o impedem de vê-lo como um Deus de graça, e, como resultado você se recusa a servi-lo com o que Ele te deu. Quando culpamos Deus vamos acabar enterrando nossas bênçãos.

Uma visão equivocada de Deus também pode levar a desculpas. No versículo 25, este homem declara que a razão pela qual ele não fez nada com o que ele tinha recebido era porque ele estava com medo. Seu medo o paralisou e então ele decidiu jogar pelo seguro. Ele escondeu o dinheiro para se certificar de que não se perdesse. E ele cumpriu exatamente o que ele se propôs a alcançar: NADA.

A visão equivocada de Deus sempre leva ao medo: “... e, atemorizado, fui esconder na terra o teu talento..." A visão correta de Deus sempre leva à fé. Se você está lutando com medo hoje, o melhor antídoto é continuar a sua compreensão do caráter de Deus e pedir a Ele para crescer a sua fé. Coragem não é ausência de medo. Coragem é avançar, apesar de seus medos. Eu acho que os dois primeiros servos tinham provavelmente um pouco de medo também, mas porque conheciam o caráter do mestre, em vez de ficarem congelados pelo medo, eles saíram na fé.

Vamos olhar para as diferenças entre os dois servos que serviram e aquele que deu um mergulho.
· Os dois primeiros estavam determinados a fazer um lucro; o terceiro estava determinado a não assumir uma perda.
· Os dois primeiros estavam dispostos a trabalhar duro e assumir riscos; o terceiro não assumiu nenhum risco.
· Os dois primeiros receberam o dom; o terceiro recusou o dom.
· Os dois primeiros queriam avançar o domínio do mestre; o terceiro não tinha interesse no que importava para o mestre.
· Os dois primeiros viram o dinheiro como uma oportunidade; o terceiro servo viu isso como um problema.
· Os dois primeiros permitiram o dom do mestre para mudar suas vidas; o terceiro se recusou a deixar o dom tocar sua vida.
· Os dois primeiros investiram; o outro desperdiçou.
· Os dois primeiros viram uma bênção; o terceiro servo viu um fardo.
· Os dois primeiros conheciam o mestre; o terceiro servo não tinha a menor ideia.

6. O que temos, devemos usar ou o que temos vamos perder. O versículo 26 revela que o mestre viu através das desculpas esfarrapadas do servo quando ele disse: "Servo mau e preguiçoso!" A palavra "mau" significa "iniquo, nocivo e malicioso" Em outras palavras, o mestre está dizendo "Você está mentindo. Em seu coração, você é um egoísta e preguiçoso. Se você realmente queria fazer alguma coisa, você deveria ter colocado o meu dinheiro no banco. Eu vejo o que está dentro de você" Estas são palavras muito fortes. Deus vai julgar não apenas por fazer o mal, mas por não fazer o que é correto!

O homem era mau porque ele deliberadamente deturpou tanto seu mestre como a si mesmo. Ele acusou falsamente o mestre de ser duro e ele mentiu quando disse no versículo 25: "eis aqui tens o que é teu" Na verdade, ele devia ao seu senhor não apenas um talento, mas também tudo o que teria ganhado se tivesse sido fiel. Por incrível que pareça, em vez de admitir sua culpa, ele se comporta como se o mestre tivesse de dar-lhe o crédito por ter sido tão cauteloso.

A maldade e a preguiça juntas podem impedir muitas pessoas de entrega total e serviço. No original, esta combinação de termos é inesquecível porque rima. Enquanto os outros dois funcionários estavam ocupados e trabalhando duro, este preguiçoso egoísta cavou um buraco, pouco percebendo que ele estava cavando para si mesmo! Um coração egoísta juntamente com uma falta de vontade de fazer nada sobre isso vai levar muitas pessoas no caminho da destruição que pode levar ao lugar de choro e ranger de dentes.

Todos nós temos um elemento de preguiça em nós. E, a nossa cultura parece estar situada na preguiça também.
Estou convencido de que a preguiça é extremamente perigosa para a nossa vida espiritual. Quando pensamos que podemos colocar algo fora mais tarde, acabaremos por descobrir que um dia vai ser tarde demais.
Provérbios 6:9: "o preguiçoso, até quando ficarás deitado? quando te levantarás do teu sono?”.
Provérbios 10: 5: "O que ajunta no verão é filho prudente; mas o que dorme na sega é filho que envergonha”.
Provérbios 13: 4: "O preguiçoso deseja, e coisa nenhuma alcança; mas o desejo do diligente será satisfeito”.
Hebreus 6:11-12: "E desejamos que cada um de vós mostre o mesmo zelo até o fim, para completa certeza da esperança; para que não vos torneis indolentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas"

Porque este terceiro indivíduo não usou o que Ele tinha recebido, Ele perdeu-o de acordo com o versículo 28: "Tirai-lhe, pois, o talento e dai ao que tem os dez talentos" É o principio "use-o ou perca-o". Amigo, não enterre o que você tem. Desenvolva, aumente e multiplique usando o que lhe foi dado.

7. Quem você conhece e o que você faz vai levar a uma abundância ou agonia na próxima vida. No versículo 29, aprendemos que aqueles que são fiéis com as pequenas coisas terão em abundância, ou excesso. “Porque a todo o que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância..." Aqueles que se entregaram em sinal de rendição completa e serviço abnegado será dado ainda mais oportunidades.
Por outro lado, aqueles que enterrarem suas bênçãos enfrentarão a agonia. Jesus conclui esta parábola, dizendo que o servo inútil será jogado "nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes" Esta descrição é usada em outros lugares para se referir ao inferno. Aqueles que não conhecem a Deus e não o serve. A falta de serviço pode indicar que uma pessoa nunca foi verdadeiramente convertida. É por isso que Jesus se referiu a ele como "inútil". Um crente tem seu valor por causa de sua fé em Cristo. Este servo morava na casa do Mestre, mas não conhecia e amava o proprietário.
A marca distintiva de um verdadeiro cristão é serviço e entrega. A falta de serviço trai um coração onde Jesus realmente não vive.

Um cristão que não está usando o que Deus nos deu é uma contradição em termos. Quando analisar o seu quociente de servidão, e você concluir que você enterrou suas bênçãos, talvez você ainda não foi salvo. Você quer abundância ou agonia na próxima vida? Determine-se a conhecer o Mestre e servi-Lo de todo o coração.

Não esconda a verdade. Não a enterre. Permita que o maior tesouro de todos, o próprio Jesus Cristo transforme radicalmente a sua vida.

Conclusão: A mordomia é mais bem definida como o uso dos recursos dados por Deus para a realização dos objetivos dados por Deus. Como você se alinha com estes sete princípios?
1. O que temos não é nosso.
2. Nós recebemos o que podemos administrar.
3. Temos de investir o que nos foi dado.
4. Um dia de prestação de contas está chegando.
5. O que fazemos com o que temos revela nossa visão de Deus.
6. O que temos, devemos usar ou o que temos vamos perder.
7. Quem você conhece e o que você faz vai levar a uma abundância ou agonia na próxima vida.

Nos Estados Unidos tem um programa que se chama "Antique Road Show"? Eu gostava de ver como as pessoas levavam suas coisas para os avaliadores para descobrir o quanto valia aquele item. Muitas vezes, aqueles que tinham itens luxuosos iam ao programa pensando que eles tinham um enorme tesouro. Na maioria das vezes, eles descobriam que o seu tesouro era uma falsificação ou uma replica e valia muito pouco.

Depois, havia aqueles que iam com uma pequena bagatela ou uma pintura que encontraram no sótão empoeirado. Eles estavam apenas felizes por estar no programa. E, muitas vezes, essas pessoas descobriam que seu produto valia muito mais do que eles pensavam.

As pessoas que estavam esperando conseguir grandes somas com seus itens extravagantes são um pouco como nós somos quando pensamos que podemos impressionar a Deus com o que temos. Por outro lado, alguns de nós pensamos que não temos muito a oferecer, mas o que temos é realmente um tesouro do próprio Deus. Nossa responsabilidade é usar a nossa capacidade de investir com proposito do reino de Deus.

Jesus colocou a sua obra em nossas mãos e voltará um dia para julgar a nossa fidelidade. Você está em parceria com Ele ou você está apresentando desculpas?

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Tecnologia do Blogger.