Header Ads

Não Olhe Para Trás

Não Olhe Para Trás
Texto: Ageu 2:1-5
Introdução: Quantos de vocês podem se lembrar dos "bons velhos tempos"? Você sente saudade de como as coisas costumava ser, e lamenta como as coisas estão hoje em dia?
Há 30 anos, os maiores problemas de disciplina na escola era; conversa, goma de mascar, fazer barulho, correr nos corredores, ficar fora da fila, vestir roupas impróprias e lixo. Hoje os problemas nas escolas são: violência, drogas, álcool, roubo, assalto e armas na escola.

Recentemente eu ouvi alguém em seus 70 anos falando sobre os dias de glória em Valadares a 40 anos atrás. A vida que ele descreveu na época era muito diferente do que é a vida hoje. Mas ele não apenas comparou, ele também fez um discurso inflamado sobre como as coisas estão terríveis hoje, falando sobre ambos, pessoas e lugares. Ele estava tão amargo que ele não conseguia ver nada para comemorar aqui e agora.

Em nossa passagem para hoje nós vamos ver que devemos deixar o passado para trás, se queremos seguir em frente.

Na semana passada, aprendemos com os versos finais do capitulo 1 de Ageu; vimos como o Espírito de Deus moveu o povo a fazer a obra de Deus. Assim como eles, nós devemos ouvir, obedecer, temer e não demorar. Quando nos tornamos disponíveis para Deus, a Sua presença está conosco e Seu poder nos desperta. No capítulo 1 Ageu se dirige a indiferença das pessoas para com a obra de Deus; aqui no capítulo dois, ele está se dirigindo a ansiedade deles em fazer a obra de Deus.

Vamos recordar brevemente as circunstâncias por trás deste breve livro. Depois de voltar do exílio na Babilônia, o povo de Deus recebeu a missão de reconstruir o templo de Deus. Eles ansiosamente lançaram as bases, mas por causa da oposição e as suas próprias prioridades egoístas, eles pararam de trabalhar por 16 anos. Ageu foi chamado à cena para mobilizar as pessoas a voltar ao trabalho. Depois de colocar Deus de volta no centro de suas vidas, eles começaram a trabalhar fazendo o que eles foram chamados a fazer. Assim é como o capítulo 1 termina.

Ageu 2:1 nos dá a definição para o próximo sermão de Ageu: "No segundo ano do rei Dario, no sétimo mês, ao vigésimo primeiro do mês, veio a palavra do Senhor por intermédio do profeta Ageu, dizendo". Este livro tem uma série de marcadores de tempo, para que possamos descobrir exatamente quando algo ocorreu e quanto tempo se passou desde a mensagem anterior. Em Ageu 1:15, lemos que eles começaram a trabalhar na casa de Deus no "vigésimo quarto dia do sexto mês", por isso sabemos que cerca de um mês havia se passado e eles já estavam desanimados.

É importante notar que o sétimo mês era um mês muito ocupado no calendário judaico. Sabemos através de Esdras 3 que o sistema e celebração das festas de sacrifício tinha sido restabelecido quando o altar foi reconstruído. Havia três grandes festas neste mês chamado Tishrei, que correspondem com os nossos meses de setembro e outubro:
  • A festa das trombetas acontecia no primeiro dia do mês.
  • O Dia da Expiação era no 10º dia.
  • A Festa dos Tabernáculos era celebrada no dia 15 até o dia 22.
Talvez eles tivessem um tempo difícil mantendo a concentração no trabalho por causa de todas as festas acontecendo.

Sabemos a partir do versículo 1, que Ageu vai falar com eles próximo ao último dia desta festa, que celebrava a colheita. Esta celebração especial lembrava as pessoas do tempo em que seus antepassados viviam em tendas durante a peregrinação no deserto. Era um lembrete anual que o povo desejava estar na Terra Prometida. Era para ser um dia de alegria e louvor. As pessoas nos dias de Ageu estavam, sem dúvida, revivendo isso como eles apenas tinham sido autorizados a voltar para a terra. Naquela época, as pessoas eram muitas; agora, eles eram apenas um remanescente. Os povos antigos estavam em seu caminho para a terra que mana leite e mel; agora eles estavam lutando para subsistir na terra.

Este dia também corresponde a uma outra data importante na história de Israel. 430 anos mais cedo neste mesmo festival neste dia exato, o rei Salomão havia dedicado o primeiro templo (1 Reis 8:2). A medida que o povo relatava o esplendor daquele templo, eles ficaram desanimados pelos planos insignificantes na frente deles.

Amigos, é muito comum experimentar desânimo e até mesmo desalento depois de começar forte com algo. Muitos de nós poderia dar testemunho disso quando tentamos lembrar como foram as nossas resoluções de Ano Novo. É fácil começar, mas difícil é continuar até o fim. Um bom exemplo disso é Elias, que depois de experimentar um encontro incrível de poder no Monte Carmelo, acaba fugindo por sua vida e depois queria que Deus lhe tirasse a vida.

Em Ageu 2:2, Deus diz ao profeta para pregar aos líderes e ao resto, e ele faz isso fazendo três perguntas no versículo 3: "Quem há entre vós, dos sobreviventes, que viu esta casa na sua primeira glória? Em que estado a vedes agora? Não é como nada em vossos olhos?" Será que você consegue notar que a palavra "vocês" é usada três vezes? Estas questões são muito pessoais e muito diretas.

Identificar as causas

Do mesmo modo, a perda da excitação inicial e lidar com atrasos pode nos desanimar também. O primeiro passo para lidar com o desânimo é identificar as causas. É bom enfrentá-lo de frente. Deus sabia o que eles estavam pensando e sentindo e assim Ele queria que eles soubessem que ele entendia. Deus sabe o que você está pensando agora. Em Lucas 11:17, lemos que Jesus “...conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes..."

Aqui estão três causas mais comuns que levam ao desânimo.

1. Comparação com o passado - "Quem há entre vós, dos sobreviventes, que viu esta casa na sua primeira glória". Havia provavelmente algumas pessoas mais velhas na faixa dos 80 anos que se lembravam de como era o templo de Salomão. Não tinha comparação com os bons e velhos tempos, os dias de glória de Israel, quando as pessoas vinham de longe para ver o Templo e ouvir a sabedoria de Salomão. O passado superava o presente. E porque eles achavam que o passado era melhor eles começaram a desanimar.

Digamos que o novo templo não ia ser nada parecido com o antigo. O novo templo não teria a Arca da Aliança, não haveria mobiliário de ouro, não haveria querubins esculpidos, e não haveria glória Shekinah. Havia uma falta de bons materiais (eles tinham usado alguns dos produtos de primeira linha em suas casas), não havia muito dinheiro e havia muita oposição. Essa é apenas uma avaliação honesta.

Esdras é um contemporâneo de Ageu e o livro que leva seu nome é preenchido com o que aconteceu nos corações das pessoas, quando foram lançadas as bases do templo. Por favor abra sua Bíblia em Esdras 3:10-13: "Quando os edificadores lançaram os alicerces do templo do Senhor, os sacerdotes trajando suas vestes, apresentaram-se com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com címbalos, para louvarem ao Senhor, segundo a ordem de Davi, rei de Israel. E cantavam a revezes, louvando ao Senhor e dando-lhe graças com estas palavras: Porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre sobre Israel. E todo o povo levantou grande brado, quando louvaram ao Senhor, por se terem lançado os alicerces da casa do Senhor. Muitos, porém, dos sacerdotes e dos levitas, e dos chefes das casas paternas, os idosos que tinham visto a primeira casa, choraram em altas vozes quando, a sua vista, foi lançado o fundamento desta casa; também muitos gritaram de júbilo; de maneira que não podia o povo distinguir as vozes do júbilo das vozes do choro do povo; porque o povo bradava em tão altas vozes que o som se ouvia de mui longe".

Aqui está o que aconteceu. Aqueles que tinham visto o templo de Salomão choraram em voz alta, enquanto aqueles que não tinham essa memória se alegraram em voz alta. Os mais velhos choravam enquanto os mais jovens estavam adorando. Uma geração gemia e a outra dava glória a Deus. Aqueles que se lembravam do templo de Salomão filtravam tudo através das lentes da glória do passado e tudo o que estava acontecendo no presente simplesmente não estava a altura.

Adivinhem? Essa mesma tensão existe hoje. Infelizmente, os mais velhos tendem a censurar os mais jovens, discordando do que eles estão fazendo e como eles estão fazendo. Ao mesmo tempo, os mais jovens olham com desdém para os mais velhos, pensando que eles são apenas relíquias que não são preparados para fazer a obra de Deus como eles.

Eu como um pastor com quase cinquenta anos, eu gosto de pensar que eu ainda estou com visão de futuro e capaz de celebrar e apoiar coisas novas e novas ideias. Mas eu tenho certeza que nem sempre terei esse direito. Quero possuir as atitudes em meu coração que às vezes são céticos do que os mais jovens estão fazendo. Isso é errado. E eu peço perdão por isso. Para aqueles que tem cinquenta anos ou mais, estas palavras servem como um corretivo útil: "É fácil ficar preso avaliando a experiência atual da igreja com os paradigmas de espiritualidade do passado ao invés de permanecer aberto para as formas na qual Deus está impactando o presente de maneira culturalmente relevante".

Pode ser que havia algo mais acontecendo. Enquanto alguns estavam focados nas coisas boas do passado, outros poderiam estar se sentido mal sobre o quanto eles haviam bagunçado. Tudo o que tinham a fazer era olhar em volta e ver as consequências de seu comportamento. Alguns de vocês estão tão cheios de culpa e vergonha por causa do passado que você opta por não viver o perdão e a liberdade no presente. Porque você sente que não estão à altura, então, você pula fora do jogo.

Amigos, se você está preso a glória dos bons velhos tempos ou você está repetindo a dor de seu passado, é hora de deixar tudo isso para trás. Temos de deixar o passado para trás, se queremos seguir em frente. Precisamos fazer o que o apóstolo Paulo fez quando se lembrou de suas realizações passadas e seus fracassos do passado como se encontra em Filipenses 3:13-14: "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus".

2. Concentrar-se nos defeitos - "Em que estado a vedes agora?" Você já reparou como é fácil encontrar defeitos nos outros? Essas pessoas mais velhas estavam recordando os bons velhos tempos e ao ver uma estrutura tão pobre que estava sendo construída, os fez querer parar de trabalhar. Em vez de olhar para o que era, eles olharam para o que não era. Eles notaram o negativo sem aplaudir o positivo. Alguns de nós somos assim. Nós encontramos as falhas e somos rápidos para criticar porque em nossa mente algo ou alguém simplesmente não está à altura de nossos padrões.

3. Exagerar as questões - "Não é como nada em vossos olhos?" A palavra "nada" significa "ser inexistente" ou tratar como um zero. Muitos de nós somos especialistas em exagerar em quão terrível é algo. Você já se pegou usando frases como estas: "Você sempre" ou "Você nunca"? Ou como: "Fulano não vale nada... ele não sabe nada". Você descreve pessoas ou projetos como “nada” só porque você não gosta de alguma coisa ou em sua mente não está sendo feito como você acha que deveria ser feito ou não está se movendo tão rapidamente como você gostaria?

Vamos parar de demonizar aqueles que discordamos. É fácil descartar aqueles que não estão de acordo com nosso “padrão”. Não tratar as pessoas como se fossem nada e vamos ter certeza de que não tratamos a obra de Deus como se fosse inexistente.

Ouça. É realmente fácil lembrar o passado como melhor do que realmente era para que o presente parece pior do que realmente é. Isso nos ajuda a lembrar de Zacarias 4:10 que nos diz "não despreze o dia das coisas pequenas". Deus está sempre fazendo mais do que vemos e o que poderíamos achar tão pequeno e insignificante, não é assim para Deus.

E assim, para nós, pessoas mais velhas, não vamos matar o entusiasmo dos jovens. Aqui está uma notícia. Os velhos tempos não voltarão! Eclesiastes 7:10 nos oferece alguma sabedoria, "Não digas: Por que razão foram os dias passados melhores do que estes; porque não provém da sabedoria esta pergunta". Vamos celebrar o que Deus está fazendo agora. Para aqueles que são mais jovens, respeitar os mais velhos e ouvir a sabedoria deles - eles podem ter algo a dizer. Vamos todos policiar nossas palavras, porque a nossa queixa pode desencorajar, a nossa comparação pode rebaixar e nossa critica pode matar os demais.

Aplicando a Cura

Depois de identificar as causas do desânimo é realmente importante aplicar a cura. Nos versículos 4-5, eu vejo três coisas que devemos fazer e três coisas que Deus vai fazer. Vamos ler estes versos juntos: "Ora, pois, esforça-te, Zorobabel, diz o Senhor, e esforça-te, sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e esforçai-vos, todo o povo da terra, diz o Senhor, e trabalhai; porque eu sou convosco, diz o Senhor dos exércitos, segundo o pacto que fiz convosco, quando saístes do Egito, e o meu Espírito habita no meio de vós; não temais". Você vê as duas palavras "Ora, pois"? Esta é uma frase de transição poderosa que nos move do passado para o presente. Lembro-me do Salmo 119:67: "Antes de ser afligido, eu me extraviava; mas agora guardo a tua palavra". Eu amo o que o homem que foi curado de sua cegueira disse em João 9:25: "Respondeu ele: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: eu era cego, e agora vejo"

1. O que devemos fazer. Temos a responsabilidade de responder, mesmo quando, ou especialmente quando estamos desanimados.

  • Seja forte. No versículo 4, Deus diz-lhes "esforça-te" três vezes: "...esforça-te, Zorobabel... esforça-te, sumo sacerdote Josué... esforçai-vos, todo o povo da terra". A palavra "forte" também pode ser traduzido como corajoso. Ele começa com os líderes e, em seguida, ele se move para o povo. Estes são os mesmos grupos que obedecem em 1:12. Observe que Deus os chama, "povo da terra". Eles estavam vivendo na terra que Deus lhes prometeu. Eles estavam no lugar certo, na hora certa e estavam experimentando o cumprimento da promessa de Deus a Abraão dadas há séculos anteriores. E agora Deus fala diretamente a eles. A diretiva de "ser forte" é muitas vezes usado quando os indivíduos são chamados a entrar em uma batalha de algum tipo. Vemos isso em Josué 1:9: "Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não te atemorizes, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus está contigo, por onde quer que andares"
  • Comece a trabalhar. Vemos isso em 1:4 também. Depois de dizer-lhes para serem fortes, ele lhes diz: "...e trabalhai". Este é realmente o comando de controle que é ladeado pelo desafio de ser forte e não temer. Deus nos quer trabalhando, porque ele colocou cada um de nós aqui com um trabalho a fazer.
  • Não tenha medo. As duas primeiras coisas que devemos fazer são positivas - a nossa atitude deve ser forte e nossa ação deve conduzir ao trabalho. O final é uma ordem negativa e se refere ao que não devemos fazer. Olhe para a última frase no versículo 5: "não temais"

Me pergunto se esses comandos levaram alguns deles a se lembrar das palavras de Davi a seu filho Salomão, quando ele estava se preparando para construir o primeiro templo em 1 Crônicas 28:20: "Disse, pois, Davi a seu filho Salomão: Esforça-te e tem bom ânimo, e faze a obra; não temas, nem te desalentes, pois o Senhor Deus, meu Deus, é contigo; não te deixará, nem te desamparará, até que seja acabada toda a obra para o serviço da casa do Senhor"

2. O que Deus vai fazer. De maneira semelhante, Deus promete que vai fazer três coisas para as pessoas nos dias de Ageu. Observe como esses três comandos estão ligados pela palavra "porque" no verso 4. Nós podemos ser fortes, começar a trabalhar e não tenha medo por causa do que Deus vai fazer.
  • Sua presença está conosco - "porque eu sou convosco, diz o Senhor dos exércitos”. A principal razão pela qual não temos que temer é porque Deus está conosco. Vimos isso no capitulo 1:13 também. O próprio Deus é conosco, não um anjo ou um agente especial. Este é o fio de prata que tece ao longo do Antigo Testamento e, em seguida, para Maria, em Lucas 1:28: "E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo". Jesus recebeu o nome de Emanuel em Mateus 1:23, que significa "Deus conosco". E o próprio Jesus prometeu que estaria conosco, pois vivemos a Grande Comissão em Mateus 28:30: "E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos"
  • Sua promessa é para nós - "segundo o pacto que fiz convosco, quando saístes do Egito". Deus prometeu ser o protetor e provedor deles. Este pacto antigo é tão atual como sempre. E para nós, ele foi atualizado na Nova Aliança, que é ainda melhor como declarado em Hebreus 8:6: "Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de um melhor pacto, o qual está firmado sobre melhores promessas". Aqui está o problema em poucas palavras. Eles tinham uma boa memória das coisas erradas e uma má memória das coisas certas. Eles precisavam de lembrar a presença de Deus e a promessa de Deus.
  • Seu poder está dentro de nós - "...e o meu Espírito habita no meio de vós..." Esta é uma das poucas referências ao Espírito Santo no Antigo Testamento e é um lembrete de que tudo o que fazemos é feito pelo poder de Deus, e não por nossa capacidade como afirmado em Zacarias 4:6: "... não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor Todo-Poderoso". Nós também temos uma enorme vantagem sobre os crentes do Antigo Testamento, porque Jesus prometeu que o Espírito Santo não estaria apenas entre nós, mas em nós. João 14:16-17: "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre, a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós"

A coragem vem de saber que Deus está conosco, é por nós e dentro de nós! Esta verdade deve nos ajudar a ver as possibilidades não problemas. Vamos deixar o passado para trás, para que possamos seguir em frente.

Colocando em prática

Anotei algumas maneiras que podemos colocar tudo isso em prática.

1. Deixe o passado para trás. Se você ficar no passado, trancado no bem ou no mal, você vai olhar desconfiado para o presente e você vai esquecer as promessas de Deus para o futuro. Tem sido dito que, se você ainda está falando sobre o que você fez ontem, você não tem feito muito hoje.

2. Olhe para cima. Isaías 43:19: "Eis que faço uma coisa nova; agora está saindo à luz; porventura não a percebeis?" Ontem é história. O amanhã é um mistério. Hoje é uma dádiva. É por isso que chamamos de “presente”.

3. Mexa-se. Você não pode trazer a história de volta, mas você pode trazer Deus de volta. Estes dias são os dias de glória! Com Cristo no centro de sua vida, estes podem ser os “bons tempos”. Alguém já disse que estes são os "bons velhos tempos" nós vamos sentir saudades deles daqui a algum tempo. Dê o próximo passo. E, em seguida, o próximo passo. Deus cuidará do resto.

Pr. Aldenir Araújo

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

Tecnologia do Blogger.