Header Ads

A morte de Jesus

A morte de Jesus
Texto: Lucas 23:44-47

Introdução: No sermão anterior discutimos sobre a vida de Jesus - Ele cumpriu perfeitamente a vontade do Pai, mesmo em sua morte. Nesta lição, vamos examinar a morte de Jesus e o que devemos aprender com ela.

1. O plano de Deus

A. Parte de seu plano pré-determinado (Atos 2:23) "Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo" (Apocalipse 13:8)
B. O assunto da profecia (Mateus 26:54) - exemplos (Gênesis 3:15, Salmo 22:16-18; Isaías 53:5)
C. Não foi um acontecimento inesperado - isto é importante à luz da teoria da pre-milenarismo (a ideia de que Jesus voltará, estabelecerá o Seu reino na terra, e reinará por mil anos; necessário porque ele não conseguiu fazê-lo pela primeira vez que Ele veio, porque as pessoas o rejeitaram)
D. Jesus não fracassou - se a sua missão era estabelecer um reino terreno, ele teria feito (João 6:15; Mateus 26:53); não estamos à espera de um futuro reino (Colossenses 1:13); o reino é a igreja (Mateus 16:18-19)

2. O sacrifício voluntário de Jesus

A. Jesus descreveu a si mesmo como o "bom pastor" (João 10:11-15) - contraste com o "mercenário"; Ele estava preocupado com as ovelhas, não apenas com Ele mesmo (Filipenses 2:5-8); Ele voluntariamente deu a Sua vida (João 10:17-18)
B. Lembre-se, a morte de Jesus era parte do plano predeterminado de Deus (Atos 2:23) - Ele sabia a razão por que Ele veio à terra; Ele ainda previu o que iria acontecer (Mateus 16:21; João 12:32-33)
C. Ele não desejou escapar da cruz, caso contrário, ele teria escapado (Mateus 26:53) - Ele voluntariamente deu a Sua vida por nós (João 10:17-18)

3. O perdão possibilitado através do sangue de Jesus

A. O perdão é possível através do sangue de Cristo (Mateus 26:27-28; Efésios 1:7) – Os sacrifícios do Antigo Testamento atavam o perdão ao derramamento de sangue (Hebreus 9:22; Levítico 17:11); esses sacrifícios não poderiam tirar o pecado (Hebreus 10:4), mas prefigurava o sacrifício de Jesus; Sua morte é parte da fundação do evangelho (1 Coríntios 15:3)
B. Seu sacrifício torna o perdão possível para nós, se cumprirmos as condições de perdão - a salvação não é incondicional (Hebreus 5:9; Marcos 16:16); Jesus não morreu apenas para os "eleitos" (João 3:16; Tito 2:11); a salvação está aberta a todos os que estão em conformidade com a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo (Romanos 6:3-4, 17-18)
C. Questões sobre a natureza do seu sacrifício - expiação vs. substituição (morreu em nosso lugar / favor)
D. O que se entende por substitutiva morte (vicária) de Cristo? - Jesus sofreu o castigo que era devido a nós, tornando-nos livres; no entanto, Jesus não sofreu o castigo que nos é devido (Romanos 6:23; Apocalipse 20:14); se Ele foi o nosso substituto e recebeu a punição por nossos pecados, nós não podemos estar perdidos (eleição incondicional e da graça irresistível da doutrina "TULIPA" do Calvinismo)
E. O que significa o sacrifício expiatório de Cristo? - Seu sacrifício atrasou a ira de Deus, dando-nos tempo para arrepender e ser perdoado (Números 16:45-48); a ira de Deus ainda existe (2 Tessalonicenses 1:7-9; Romanos 2:4-6); podemos evitá-la se nos encontrarmos suas condições

4. A ressurreição de Jesus

A. Jesus não somente morreu na cruz - Ele ressuscitou dentre os mortos (Lucas 24:1-6)
B. Primeiro a ressuscitar para nunca morrer novamente (Colossenses 1:18; Romanos 6:9)
C. Ele derrotou Satanás e seu poder sobre a morte (Hebreus 2:14-15)
D. A ressurreição é um fato histórico, não um mito - testemunhas oculares (1 Coríntios 15:4-8); apóstolos passaram de um estado de medo a estar dispostos a morrer por seu testemunho (João 20:19; Atos 5:28-29, 40-42)
E. Temos esperança, pela ressurreição de Cristo (1 Coríntios 15:20; 1 Pedro 1: 3) - somos reconciliados por meio de Sua morte e salvos pela sua vida (Romanos 5:10)

Conclusão: Refletir sobre a morte de Jesus é sondar o coração amoroso de Deus. “Porque Deus amou o mundo que deu o seu Filho unigênito" (João 3:16a). Esta doação divina abrangeu a cruz.

Em grande medida, o Antigo Testamento antecipa a cruz, os Evangelhos documentam a cruz, e o resto do Novo Testamento explica a cruz.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!

Tecnologia do Blogger.