Neste sermão, vamos observar cinco pontos-chave sobre essas cidades de refúgio e como elas são paralelas à igreja hoje.
Cidades de Refúgio
Texto: Números 35:9-28

Introdução: Como os levitas não tinham recebido um território na terra de Canaã como as outras tribos, receberam "quarenta e oito cidades" (Números 35:7). Seis dessas cidades seriam designadas como "cidades de refúgio" (Números 35:6). Se alguém matasse alguém involuntariamente, ele poderia fugir para uma dessas cidades.

"Disse mais o Senhor a Moisés: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando passardes o Jordão para a terra de Canaã, escolhereis para vós cidades que vos sirvam de cidades de refúgio, para que se refugie ali o homicida que tiver matado alguém involuntariamente. E estas cidades vos serão por refúgio do vingador, para que não morra o homicida antes de ser apresentado perante a congregação para julgamento" (Números 35:9-12).

Neste sermão, vamos observar cinco pontos-chave sobre essas cidades de refúgio e como elas são paralelas à igreja hoje.

1. Pontos-chave sobre as cidades de refúgio

A. As cidades foram especificamente designadas - "escolhereis para vós cidades que vos sirvam de cidades de refúgio, para que se refugie ali o homicida que tiver matado alguém involuntariamente" (Números 35:11). Estas cidades foram escolhidas depois que alcançaram a terra prometida (Josué 20:1-3, 7-9). Se alguém acidentalmente matasse outra pessoa e quisesse fugir para a segurança, ele tinha que ir para uma dessas seis cidades. Se ele fosse para outra cidade, ele não estaria protegido.

B. As cidades eram acessíveis a todos - "Dareis três cidades aquém do Jordão, e três na terra de Canaã; cidades de refúgio serão. Estas seis cidades serão por refúgio aos filhos de Israel, ao estrangeiro, e ao peregrino no meio deles, para que se refugie ali todo aquele que tiver matado alguém involuntariamente" (Números 35:14-15). Quando lemos sobre quais seis cidades foram escolhidas, podemos ver que eles seguiram a instrução de designar três de cada lado do rio Jordão (Josué 20:7-8). Estas cidades estavam abertas "para todos os filhos de Israel, e para o estrangeiro que peregrinasse entre eles" (Josué 20:9).

C. Nem todos podiam ser aceitos nas cidades - "Mas se alguém ferir a outrem com instrumento de ferro de modo que venha a morrer, homicida é; e o homicida será morto" (Números 35:16). Aqueles que eram culpados de assassinato eram sujeitos à pena de morte (Gênesis 9:6, Êxodo 21:12). Quando alguém fugia para uma cidade de refúgio, ele devia "apresentar-se-á à porta da mesma, e exporá a sua causa aos anciãos da tal cidade; então eles o acolherão ali e lhe darão lugar, para que habite com eles. Se, pois, o vingador do sangue o perseguir, não lhe entregarão o homicida, porquanto feriu a seu próximo sem intenção e sem odiá-lo dantes" (Josué 20:4-5). Quando o homicida declarava seu caso aos anciãos da cidade, essa não era a última tentativa (Josué 20:6; Números 35:12); mas tinha que haver motivos razoáveis para aceitá-lo. Estas cidades eram "cidades de refúgio ... para o homicida" (Números 35:6), não cidades de santuário para assassinos.

D. O indivíduo tinha que chegar à cidade para estar seguro - "E estas cidades vos serão por refúgio do vingador, para que não morra o homicida antes de ser apresentado perante a congregação para julgamento" (Números 35:12). Aquele que acidentalmente matasse outra pessoa só estava seguro nas seis cidades designadas. O "vingador do sangue" tentaria matá-lo "ao encontrá-lo" (Números 35:21), onde quer que pudesse ser. Isso significa que ele não estava seguro em sua casa, em sua própria terra, ou em qualquer outro lugar. Ele estava seguro somente em uma das seis cidades de refúgio.

E. O indivíduo tinha que ficar na cidade para permanecer seguro: "e a congregação livrará o homicida da mão do vingador do sangue, fazendo-o voltar à sua cidade de refúgio a que se acolhera; ali ficará ele morando até a morte do sumo sacerdote, que foi ungido com o óleo sagrado. Mas, se de algum modo o homicida sair dos limites da sua cidade de refúgio, onde se acolhera, e o vingador do sangue o achar fora dos limites da sua cidade de refúgio, e o matar, não será culpado de sangue; pois o homicida deverá ficar na sua cidade de refúgio até a morte do sumo sacerdote; mas depois da morte do sumo sacerdote o homicida voltará para a terra da sua possessão" (Números 35:25-28). Após a sentença ter sido proferida pela congregação e ser determinado que o homicida não era culpado de assassinato (Números 35:24), ele deveria permanecer na cidade de refúgio para onde ele fugiu. Se ele deixasse a cidade antes da "morte do sumo sacerdote", ele não estaria mais protegido. Seria sua própria culpa se ele fosse morto.

2. Paralelo com à Igreja

A. A segurança é encontrada somente na igreja do Senhor - A salvação é encontrada somente na igreja do Senhor Jesus, porque Jesus é "o Salvador do corpo" (Efésios 5:23). Enquanto havia seis cidades de refúgio, Jesus só construiu uma igreja (Mateus 16:18). Não podemos nos unir à igreja de nossa escolha e estar seguros. Jesus disse: "Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada" (Mateus 15:13). Se formos parte de qualquer igreja diferente da igreja do Senhor Jesus, não podemos esperar ser salvos.

B. A igreja do Senhor está aberta a todos - Isaías profetizou que pessoas de "todas as nações fluirão para ela" (Isaías 2:2). Quando Jesus deu aos Seus apóstolos a Grande Comissão, Ele lhes disse: "Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura" (Marcos 16:15) e eles realizaram esta comissão (Colossenses 1:23). A maneira que Deus chama as pessoas para Ele é através do evangelho (2 Tessalonicenses 2:14). Portanto, através da palavra de Deus, a igreja do Senhor é acessível a todos onde quer que estejam. Pedro disse: "Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas; mas que lhe é aceitável aquele que, em qualquer nação, o teme e pratica o que é justo" (Atos 10:34-35). Todos os que obedecem ao Senhor são "um em Cristo Jesus" (Gálatas 3:28, Colossenses 3:10-11).

C. Nem todos podem fazer parte da igreja - Jesus falou daqueles que "fecham aos homens o reino dos céus" e que "não entram nele" (Mateus 23:13). A razão pela qual foi porque eles "não estavam dispostos" para vir ao Senhor (Mateus 23:37). Existem certas condições que devem ser cumpridas para fazer parte da igreja do Senhor e nem todos estão dispostos a satisfazer essas condições. Deus acrescenta pessoas à igreja (Atos 2:47) depois de terem cumprido essas condições - crença, arrependimento e batismo (Atos 2:37-41). Aqueles que se recusam a fazer estas coisas não serão adicionados por Deus à igreja.

D. Temos que estar na igreja para estar seguros - Novamente, Jesus é "o Salvador do corpo" (Efésios 5:23). Os apóstolos declararam que a salvação era somente em Cristo (Atos 4:12). Como entramos em Cristo? Paulo escreveu: "Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo" (Gálatas 3:27, Romanos 6:3). Através do batismo, entramos em Cristo e, portanto, na igreja (Atos 2:41, 47, 1 Coríntios 12:13). Não basta simplesmente ser uma boa pessoa. Cornélio era uma boa pessoa (Atos 10:1-2), mas ele foi "ordenado ... a ser batizado" (Atos 10:48). Também não basta crer em Cristo. Mesmo "os demônios também crêem" (Tiago 2:19). Aqueles que creram no dia de Pentecostes foram instruídos a "arrepender-se e ... ser batizados" (Atos 2:36-38). Temos de ser batizados em Cristo para sermos acrescentados à igreja para estarmos seguros.

E. Nós temos que permanecer na igreja para estar seguros - Depois que o Senhor nos adiciona à igreja, devemos continuar no serviço fiel a Ele. Paulo disse aos cristãos em Filipos: "De sorte que, meus amados, do modo como sempre obedecestes, não como na minha presença somente, mas muito mais agora na minha ausência, efetuai a vossa salvação com temor e tremor" (Filipenses 2:12). Se nos afastamos da palavra de Deus e "negligenciamos tão grande salvação", podemos nos perder (Hebreus 2:1-3). É possível "recuar para a perdição" (Hebreus 10:39). Não podemos dizer que estivemos na igreja o tempo suficiente e, portanto, voltar ao mundo sem consequências. Jesus disse: "Aquele que perseverar até o fim, será salvo" (Mateus 24:13, Apocalipse 2:10).

Conclusão

A. Exemplos no Antigo Testamento como as instruções sobre as cidades de refúgio são úteis para nós. Eles ajudam a explicar os princípios sobre como podemos ser salvos e qual é a nossa responsabilidade na nossa salvação.

B. Se queremos ser salvos hoje, precisamos estar na igreja do Senhor. Uma vez lá, precisamos permanecer fiéis ao Senhor para não perdermos a nossa salvação.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Axact

Esboço de Sermão

Vestibulum bibendum felis sit amet dolor auctor molestie. In dignissim eget nibh id dapibus. Fusce et suscipit orci. Aliquam sit amet urna lorem. Duis eu imperdiet nunc, non imperdiet libero.

Postar um comentário:

0 comments:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!