Série: Comunhão - Conduta na Comunhão

Série: Comunhão - Conduta na Comunhão
Texto: I João 2:3-27

Introdução: 1 João 1:3: "sim, o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que vós também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo".

Na semana passada, analisamos a introdução e a discussão de João sobre as condições para a "comunhão". No curso das próximas semanas, queremos observar um número de coisas sobre "comunhão".

Hoje à noite veremos qual deve ser a conduta na comunhão.

I. O Caráter de Nossa Conduta. V. 3-11

A. Obediência. (v. 3-6)
1. O conhecimento de Deus é provado por nossa obediência aos Seus mandamentos.
2. A garantia do nosso relacionamento com Deus é provada pela nossa obediência à Sua Palavra.
3. Observe o contraste entre "aquele que diz" e "aquele que guarda".
4. O versículo 6 enfatiza a importância de uma caminhada que seja consistente com nossa fala.

B. Amor. (v. 7-11)
1. O Antigo Mandamento. V. 7
a. Deuteronômio 6:5, "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças".
b. Levítico 19:18b, "Amarás ao teu próximo como a ti mesmo: Eu sou o Senhor".
c. Isso não era algo novo para eles, amar a Deus e amar os outros sempre foi um padrão de conduta para o povo de Deus.
2. O Novo Mandamento v. 8
a. João 13:34: "Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros"
b. O antigo mandamento foi trazido a uma maior clareza agora através de Jesus Cristo.
c. Sua morte foi a maior demonstração possível de Seu amor. João 15:13: "Ninguém tem maior amor do que este, de dar a vida por seus amigos".
d. Este princípio de amor é verdadeiro em Cristo e deve estar em Seus discípulos porque a escuridão é passada e nós estamos na Luz Verdadeira.
3. O mandamento deve ser exemplificado em nossas vidas. V. 9-11
a. "Na luz" = em comunhão com Deus.
b. Mais uma vez, João traz de volta a importância de nossa conversa ou de nossa profissão ser consistente com nossas ações.
c. O contraste é ainda visto por uma falta de direção da parte da pessoa na escuridão e o caminho iluminado para aquele que está permanecendo na luz.

II. O Mandamento para Nossa Conduta. V. 12-17

A. À luz da nossa condição espiritual. (V. 12-14)
1. Note nossa posição diante de Deus.
a. Nossos pecados são perdoados.
b. Vencemos Satanás.
c. Somos fortes porque a Palavra de Deus permanece dentro de nós.
2. Nota: Ele dirige-se a todos os crentes usando os termos "filhinhos", "jovens" e "pais".
3. Independentemente do nosso nível de maturidade em Cristo: nosso perdão, força e vitória estão em Cristo por amor de Seu nome!

B. À luz das seduções do mundo. (V. 15-17)
1. Não ameis o mundo. V. 15
a. 'Mundo' = usado aqui não como uma referência as pessoas, mas para uma filosofia de vida que é contrária a Deus.
b. "Nem as coisas" = coisas materiais (embora não necessariamente más em si mesmas) e nossa atitude em relação a elas e nosso abuso delas.
2. As características do mundo. V. 16
a. A concupiscência da carne, a luxúria dos olhos e o orgulho da vida.
b. Compare Gênesis 3:6 com Lucas 4: 1-13
1) Carne / comida / pão
2) Olhos / agradável / reinos
3) Orgulho / como deuses / prová-lo
c. Isto não é do Pai.
3. A perspectiva do mundo. V. 17
a. Ele vai passar junto com todos os seus desejos.
b. Mas, aquele que faz a vontade de Deus permanecerá para sempre!

III. O Credo para Nossa Conduta: "Conhecemos a Verdade" v. 18-27

A. Sobre os anticristos que virão. (V. 18-19)
1. João declara que eles ouviram que o anticristo virá (isto é, A BESTA).
2. Mas ele diz que há agora muitos anticristos ou opositores a Cristo.
3. Isto indica os tempos de fim. 2 Timóteo 4:3-4, "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas".

B. Sobre a unção do Espírito Santo. (V. 20-21)
1. Os gnósticos reivindicavam ter uma unção especial que lhes dava iluminação.
2. João declara que nossa unção é de Deus e podemos conhecer ou discernir todas as coisas.
3. Conhecemos a verdade, portanto, podemos discernir uma mentira.

C. Sobre aqueles que negam a Cristo. (V. 22-23)
1. O mentiroso supremo é aquele que nega que Jesus é o Cristo.
2. Aqueles que negam Cristo são anticristos ou opositores de Cristo.
3. Negar o Filho é negar o Pai João 10:30, "Eu e o Pai somos um".
4. Muitos grupos procuram reconhecer o Pai ao negar Jesus, mas você não pode ter um sem o outro! (NOTA: Alguns ensinamentos somente sobre Jesus negam o Pai, o que também está errado)

D. Sobre a vida eterna. (V. 24-25)
1. “...o que desde o princípio ouvistes” = a mensagem do evangelho.
2. João 8:31, "Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos".
3. Nota v. 14: "...porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e já vencestes o Maligno".
4. A promessa de Sua Palavra é vida eterna.
E. Sobre falsos mestres. (V. 26-27)
1. Os crentes são habitados pelo Espírito Santo de Deus.
2. Ele é nosso mestre e guia. João 16:13
3. Através Dele podemos discernir a verdade das mentiras.
4. Permanecemos nEle!

Conclusão: A verdadeira comunhão tem duas condições importantes que devem ser cumpridas:
· Conformidade com um padrão (Jesus Cristo) e,
· Confissão de pecado.
Como vimos esta noite, o caráter de nossa conduta envolve obediência e amor.

Você está desfrutando da verdadeira comunhão com Deus e os outros? Se não, você está perdendo uma das maiores bênçãos da salvação!

0 Comentários em "Série: Comunhão - Conduta na Comunhão"

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links não serão aprovados!